Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de polimorfismos do gene da metilenotretrahidrofolato redutase (MTHR) como fator de risco para a Síndrome de Turner

Processo: 07/03295-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2008 - 28 de fevereiro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Monica Vannucci Nunes Lipay
Beneficiário:Monica Vannucci Nunes Lipay
Instituição-sede: Departamento de Morfologia. Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Genética médica  Polimorfismo genético  Síndrome de Turner  Folato 

Resumo

Aproximadamente 15 a 20% das gestações clinicamente reconhecidas são abortadas espontaneamente, a maioria durante o primeiro trimestre (Warburton et al, 1964). Estudos citogenéticos dos abortos espontâneos tem revelado que as anormalidades cromossômicas são a principal causa contribuindo com em cerca de 50 a 60% dos casos. A monossemia do cromossomo sexual é a anormalidade cromossômica mais comum em humanos, e ocorre em cerca de 1 a 2% das gestações. Os indivíduos nascidos vivos 45,X têm características clínicas da Síndrome de Turner e apenas 1% dos conceptos chegam a termo. Defeitos no metabolismo do ácido fólico por causa da mutação no gene 5,10-Metilenotetrahidrofolato Redutase (MTHFR) têm sido considerados como possíveis causas da não disjunção pela hipometilação. A quantidade disponível de folato no organismo é extremamente importante na síntese da SAM, componente fundamental da metilação do DNA, associada à determinação da expressão gênica, estabilidade do DNA e mutagênese, além da própria síntese e reparo do DNA e aumenta durante os períodos de divisão celular rápida e de crescimento tissular, como no desenvolvimento fetal. Consequentemente, um desequilíbrio nesse processo metabólico pode gerar a diminuição dos precursores na síntese do DNA e quebras cromossômicas, além de segregação cromossômica anormal. O gene da MTHFR apresenta dois polimorfismos comuns envolvendo os nucleotídeos 677 (C—›T; alanina valina) e 1298 (A—›C; glutamato alanina). Dessa forma, a Síndrome de Turner pode ser um modelo de investigação do polimorfismo do gene MTHFR para a não disjunção cromossômica somática por causa da alta frequência de mosaiscismo cromossômico entre as pacientes. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE OLIVEIRA, KELLY CRISTINA; BIANCO, BIANCA BORSATTO; VERRESCHI, IEDA T. N.; GUEDES, ALEXTS DOURADO; GALERA, BIANCA BORSATO; GALERA, MARCIAL FRANCIS; BARBOSA, CALO P.; NUNES LIPAY, MONICA VANNUCCI. Prevalence of the Polymorphism MTHFR A1298C and not MTHFR C677T Is Related to Chromosomal Aneuploidy in Brazilian Turner Syndrome Patients. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia, v. 52, n. 8, p. 1374-1381, NOV 2008. Citações Web of Science: 18.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.