Busca avançada
Ano de início
Entree

Polimorfismo nos receptores B3 adrenérgicos e sua correlação com a síndrome da bexiga hiperativa e hiperatividade do detrusor

Processo: 07/03439-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2008 - 31 de dezembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Manoel João Batista Castello Girão
Beneficiário:Manoel João Batista Castello Girão
Instituição-sede: Departamento de Ginecologia. Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Urologia  Bexiga urinária hiperativa  Receptores adrenérgicos beta  Polimorfismo genético 

Resumo

Estima-se que a Síndrome da Bexiga Hiperativa (SBH) seja o problema vesical mais comum na fase tardia da vida. A fisiopatologia da SBH permanece controversa. A maioria dos casos é de natureza idiopática. A importância dos receptores beta-adrenérgicos, (representados, em sua maioria, pelos receptores B3), no relaxamento vesical já é conhecida. Sabe-se também que um polimorfismo no códon 64 do gene B3-AR com a troca do Triptofano (Trp) por Arginina (Arg) ocorre com uma frequência importante em diversas populações. Desta forma, propusemos então um estudo caso-controle em que avaliaremos a prevalência deste polimorfismo em pacientes portadoras de síndrome da bexiga hiperativa (com ou sem hiperatividade do detrusor ao estudo urodinâmico) em comparação com pacientes controles. Serão selecionadas 300 mulheres, sendo 100 casos e 200 controles. Será colhido 5 ml de sangue venoso, em punção periférica. O DNA genômico será extraído de leucócitos utilizando-se o kit GFX (Amersham Biosciences)A determinação do polimorfismo será feita por PCR. Todas as pacientes se submeterão a anamnese e exame físico, sendo que, somente as pacientes caso realizarão estudo urodinâmico. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.