Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo in vitro e in vivo da blenda de poli(L-co-D,L ácido latico)/ poli(caprolactona-triol), pldla/pcl-t para dispositivos ortopédicos

Processo: 07/05717-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2008 - 28 de fevereiro de 2010
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Biomédica - Engenharia Médica
Pesquisador responsável:Eliana Aparecida de Rezende Duek
Beneficiário:Eliana Aparecida de Rezende Duek
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Biológicas. Pontifícia Universidade Católica de Sorocaba (PUC-Sorocaba). Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Biomateriais poliméricos  Estudo in vitro  Blendas 

Resumo

Durante os últimos anos, as aplicações biomédicas e biotecnológicas de materiais poliméricos têm crescido consideravelmente. Os polímeros começaram a substituir metais e cerâmicos em larga escala nos campos de cultura de células, membranas para regeneração guiada de tecidos, auxiliar na recuperação de fraturas ósseas, entre outros. Este desenvolvimento vem acompanhado por um permanente aumento de requisitos que esses materiais precisam apresentar para serem usados como biomateriais, tais como biocompatibilidade, funcionalidade, degradabilidade, específicos para cada aplicação. Os polímeros biorreabsorvíveis tem sido indicados como materiais promissores para essas aplicações, sendo os mais estudados o poli(caprolactona) (PCL), poli(ácido lático) (PLA), o poli(ácido glicólico) (PGA), e seus copolímeros (PLDLA e PLGA). A degradação destes polímeros ocorre por hidrólise de suas ligações ésteres, sendo os produtos gerados completamente metabolizados pelo organismo. Entretanto, um dos problemas associados aos dispositivos poliméricos biorreabsorvíveis é o processamento, gerando produtos com propriedades mecânicas inferiores, o que muitas vezes não competem com os dispositivos metálicos em certas aplicações. Várias alternativas têm sido propostas visando melhorar as propriedades mecânicas, dentre elas o auto-reforço, obtendo-se dispositivos maleáveis e resistentes, podendo ser flexionados a frio durante o procedimento cirúrgico, devido ao alinhamento das cadeias provocado no processamento. Porém, esta técnica implica em diversas etapas de processamento, o que interfere no tempo de manufatura e custo final do produto. O poli(L-co-D,L ácido lático), PLDLA, surgiu com o objetivo de substituir o poli(L-ácido lático) em aplicações que exigem curto tempo de degradação do dispositivo, no entanto, suas propriedades mecânicas podem ser melhoradas para implantes em regiões onde se exige um maior esforço.Com objetivo de obter dispositivos que atendam a solicitação mecânica para fixação óssea sem a necessidade de auto-reforço, serão preparados pinos de blendas PLDLA com PCL triol nas proporções 100/0, 90/10, 70/30, 50/50 obtidos por fusão em uma mini injetora. Esses dispositivos serão caracterizados após degradação in vitro e in vivo após implante em ratos wistar. (AU)