Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade de bactérias e de invertebrados e sua influência sobre a estrutura das comunidades de formigas de serapilheira em áreas de Mata Atlântica

Processo: 10/50973-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2010 - 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Zoologia Aplicada
Pesquisador responsável:Maria Santina de Castro Morini
Beneficiário:Maria Santina de Castro Morini
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão. Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Mogi das Cruzes, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):10/15951-2 - Diversidade de bactérias e de invertebrados e sua influência sobre a estrutura das comunidades de formigas de serapilheira em áreas de Mata Atlântica, BP.TT
Assunto(s):Florestas tropicais  Mata Atlântica  Serrapilheira  Formicidae  Formigas  Bactérias  Biodiversidade 

Resumo

A serapilheira das florestas tropicais é apontada coma um ambiente de alta diversidade morfológica e funcional; modelos que expliquem essa diversidade devem ajudar a entender os processos que estruturam a diversidade em florestas tropicais, podendo colaborar em programas de recuperação e manejo. Durante os estudos relacionados aos processos FAPESP n. 98/1.4509-0 e n. 05/58556-8, constatamos a existência de uma alta variabilidade de espécies de formigas na serapilheira em areas de Mata Atlântica. Alguns trabalhos na literatura discutem as causas dessa variação, pois as formigas são importantes elementos estruturantes da organização de comunidades na serapilheira; entretanto, uma análise que inclua Bactérias e demais invertebrados da rede trófica na serapilheira ainda não foi testada para o Bioma Mata Atlântica. Nesse sentido, o presente projeto propõe o estudo, para construir modelos causais dos fatores que determinam a riqueza e composição de formigas na serapilheira. Para atingir esse objetivo, pretendemos determinar a riqueza e abundância de outros invertebrados selecionados, a riqueza de bactérias e a estrutura da serapilheira. Os sítios escolhidos para a realização do projeto pertencem As áreas de Floresta Ombrófila Densa da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, uma região de desenvolvimento sustentável que abriga muitos remanescentes de Mata Atlântica; porém, ainda pouco explorados em relação à fauna, flora e microbiota. Esperamos que os resultados permitam elaborar modelos explicativos gerais sobre a estrutura trófica da serapilheira em florestas tropicais, além de fornecer informações sobre a diversidade de espécies que poderão ser usadas em programas de conservação da região. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Estudo com formigas avalia recuperação da Mata Atlântica  
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.