Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel da proteína prion celular no controle da diferenciação e sobrevivência celular: controle da síntese de proteínas

Processo: 08/00390-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2008 - 30 de abril de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Glaucia Noeli Maroso Hajj
Beneficiário:Glaucia Noeli Maroso Hajj
Instituição-sede: Hospital A C Camargo. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neurobiologia  Neurônios  Príons 

Resumo

Os prions, que são conhecidos por seu envolvimento em várias doenças neurodegenerativas de humanos e animais, possuem uma isoforma celular normal, Proteína Prion Celular ou PrPc, cuja função ainda é alvo de muita controvérsia. PrPc é capaz de interagir com a proteína Stress inducible protein (STI1). Em neurônios, essa interação resulta em neuritogênese e proteção contra apoptose, sendo importante para o desenvolvimento e manutenção de neurônios funcionais. Processos neuronais exercidos por fatores neurotróficos, como sinaptogênese e a plasticidade sináptica, são dependentes do controle da tradução de proteínas. Como STI1 possui funções neurotróficas, é possível que seu mecanismo de ação envolva o controle da tradução de proteínas. Resultados preliminares apontam que a neuroproteção promovida por STI1 é dependente de vias de sinalização que controlam a tradução e que STI1 é capaz de estimular a síntese de novas proteínas, de maneira dependente de PrPc. Deste modo, as propriedades neurotróficas de STI1 devem ser melhor investigadas, uma vez que esta pode apresentar um valor terapêutico potencial em doenças neurodegenerativas. Por outro lado, o papel de STI1 em outros tipos celulares, particularmente em células tumorais do sistema nervoso é ainda desconhecido. Entretanto, sua participação na sobrevivência e diferenciação celular aponta que esta pode ter participação em processos tumorais. Outra faceta importante de PrPc é sua conhecida interação com proteínas da matriz extracelular (ECM), como Laminina e Vitronectina. Estas interações são importantes para a neuritogênese no sistema nervoso central e periférico, entretanto não se sabe seu papel no controle da síntese de proteínas. Assim, este projeto tem como objetivos: a) determinar se as funções neurotróficas de STI1 são dependentes de síntese protéica e quais os possíveis alvos desta regulação, identificando proteínas especificamente reguladas por PrPc.; b) caracterizar o papel de STI1 no controle da síntese protéica em tumores gliais de baixo e alto graus; c) determinar se a interação de PrPc com as proteínas da matriz extracelular está envolvida com o controle da síntese de proteínas. Desta maneira tentaremos ampliar os conhecimentos sobre os mecanismos patogênicos resultantes de uma deficiência ou perda de função de PrPc e propor novos alvos e estratégias terapêuticas para doenças neurodegenerativas e para o câncer. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CAETANO, FABIANA A.; BERALDO, FLAVIO H.; HAJJ, GLAUCIA N. M.; GUIMARAES, ANDRE L.; JUERGENSEN, SOFIA; WASILEWSKA-SAMPAIO, ANA PAULA; HIRATA, PEDRO H. F.; SOUZA, IVANA; MACHADO, CLEITON F.; WONG, DAISY Y. -L.; DE FELICE, FERNANDA G.; FERREIRA, SERGIO T.; PRADO, VANIA F.; RYLETT, R. JANE; MARTINS, VILMA R.; PRADO, MARCO A. M. Amyloid-beta oligomers increase the localization of prion protein at the cell surface. Journal of Neurochemistry, v. 117, n. 3, p. 538-553, MAY 2011. Citações Web of Science: 52.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.