Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da inibição do óxido nítrico sintase induzível nos marcadores de estresse oxidativo e na inflamação alérgica pulmonar em camundongos

Resumo

O estresse oxidativo tem um importante papel na patogênese da asma devido ao excesso da produção de espécies reativas de oxigênio e nitrogênio, como o O2*-, o *OH e ONOO-, formado pela ligação do *NO com o O2*-. Normalmente, os pulmões possuem diversos mecanismos de defesa antioxidantes como a enzima superóxido dismutase (SOD), a catalase o sistema glutationa peroxidase (GPx), além do gás sulfídrico (H2S) que removem rapidamente as espécies reativas de oxigênio e nitrogênio antes que possam causar qualquer disfunção ou morte celular. No entanto, a capacidade antioxidante do trato respiratório está diminuída na asma, principalmente devido à redução da atividade da SOD nas células epiteliais brônquicas. O desenvolvimento do desequilíbrio de oxidantes/antioxidantes leva a ativação do fator de transcrição NF-kB na asma que induz a expressão de uma variedade de genes envolvidos na reação alérgica como os da IL-4, IL-5 e TNF-a, RANTES, eotaxina, moléculas de adesão e a iNOS. Além do mais, nossos resultados anteriores sugerem que a inibição persistente da produção de *NO em camundongos alérgicos pode resultar em uma inflamação pulmonar tão grave quanto aquela produzida pela exposição somente à OVA (animais controles). Portanto, o efeito anti-inflamatório ou pró-inflamatório dos inibidores da síntese de *NO na resposta pulmonar pode ser temporal e/ou depender da fase da resposta alérgica. Este projeto de pesquisa tem como objetivo estudar a influência da iNOS nos marcadores de estresse oxidativo na asma e verificar se existe correlação entre o H2S endógeno e a via do NO na capacidade antioxidante do trato respiratório. (AU)