Busca avançada
Ano de início
Entree

Relação entre estresse oxidativo e classes morfofuncionais do adenocarcinoma colorretal avaliada pela expressão tecidual das proteínas de adesão celular (CEA, E-caderina, beta-catenina) e pela dinâmica do antígeno carcinoembrionário

Processo: 07/01196-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2008 - 31 de dezembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Denise Gonçalves Priolli
Beneficiário:Denise Gonçalves Priolli
Instituição-sede: Universidade São Francisco (USF). Campus Bragança Paulista. Bragança Paulista , SP, Brasil
Assunto(s):Cirurgia colorretal  Neoplasias colorretais  Estresse oxidativo  Dano ao DNA  Biomarcadores tumorais  Adesão celular  Processamento digital de imagens 

Resumo

A relação entre a expressão tecidual do antígeno carcinoembrionário e alterações histológicas, moleculares e genéticas no câncer colorretal (CCR) é motivo de muitas controvérsias. Análises imunoistoquímicas em amostras com CCR demonstraram que a produção tecidual do CEA parece estar relacionada à maior população de células produtoras do antígeno, perda da diferenciação celular associada à perda da capacidade de excreção luminal do CEA. Estudos vêm demonstrando que a alteração na dinâmica secretória encontra-se determinada pela inversão da polarização de proteínas intracelulares, tais como os antígenos tumorais e outras proteínas de adesão celular, como E-caderina e beta-catenina. Sabe-se que o estresse oxidativo representa etapa inicial da carcinogênese colorretal, determinando mutações, com consequente distanciamento das características celulares normais e modificação na capacidade de síntese e excreção de proteínas celulares, entretanto, a literatura carece de estudos que possam estabelecer de forma mais evidente a relação existente entre o estresse oxidativo ao DNA celular, modificações morfofuncionais celulares, traduzidas por mudanças das características fenotípicas das células cólicas. A análise da relação entre a quantidade de estresse oxidativo ao DNA e a expressão morfológica e funcional do câncer colorretal, por meio da expressão de proteínas de adesão celular (características morfológicas) e pela dinâmica do antígeno carcinoembrionário (característica funcional), o que poderia permitir a melhoria na classificação do adenocarcinoma colorretal quanto a comportamentos evolutivos semelhantes. Desse modo, o objetivo do presente estudo é classificar o adenocarcinoma colorretal de acordo com a observação de suas características morfofuncionais relacionadas a quantidade de estresse oxidativo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PRIOLLI, DENISE G.; CANELLOI, THAMY P.; LOPES, CAMILA O.; VALDIVIA, JULIO C. M.; MARTINEZ, NATALIA P.; ACARI, DEMETRIUS P.; CARDINALLI, IZILDA A.; RIBEIRO, MARCELO L. Oxidative DNA damage and beta-catenin expression in colorectal cancer evolution. INTERNATIONAL JOURNAL OF COLORECTAL DISEASE, v. 28, n. 5, p. 713-722, MAY 2013. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.