Busca avançada
Ano de início
Entree

Cartografia e planejamento urbano: representação dasimétrica de dados socioeconômicos e de saúde do município de São Paulo

Processo: 10/12619-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2010 - 31 de outubro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geografia Física
Pesquisador responsável:Ligia Vizeu Barrozo
Beneficiário:Ligia Vizeu Barrozo
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Ailton Luchiari ; Alfredo Pereira de Queiroz Filho ; Reinaldo Paul Pérez Machado
Bolsa(s) vinculada(s):12/06164-2 - Geocodificação de dados de mortalidade do Município de São Paulo para os anos de 2009 e 2010 do banco de dados do DATASUS, BP.TT
Assunto(s):Geocartografia  Indicadores socioeconômicos  Distribuição espacial  Mortalidade 

Resumo

Em estudos sobre saúde e no planejamento urbano, os mapas têm sido usados para identificar áreas com problemas, estimular o desenvolvimento de hipóteses etiológicas (no caso das doenças), auxiliar no planejamento e manejo de problemas e avaliar o impacto e benefício de estratégias. A técnica de representação cartográfica predominante tem sido a coroplética, por tratar de dados quantitativos relativos. Entretanto, esta técnica distorce as informações ao passar a idéia de que as doenças e a população ocorrem de forma homogênea em toda a área administrativa, mesmo quando algumas porções da região são, na realidade, inabitadas (e.g., cemitérios, parques, aeroporto, praças, áreas industriais, comerciais etc.). O nível de conhecimento atual requerido para enfrentar as complexas questões do planejamento urbano e da saúde e a disponibilidade de recursos de informática permitem a busca de outras técnicas de representação. O mapeamento dasimétrico pode ser definido como o processo de desagregar dados espaciais para uma unidade de análise mais fina, usando dados adicionais (ou ancilares) para refinar a localização da população ou outro fenômeno. Embora antiga, somente agora a técnica dasimétrica encontra meios de informática capazes de permitir sua implementação: são necessários computadores potentes, programas de geoprocessamento, imagens de satélite de alta resolução ou ortofotos, domínio das técnicas de Sensoriamento Remoto, Sistemas de Informações Geográficas, análise espacial, estatística e dados ancilares tabulares e/ou espaciais. Assim, o presente projeto de pesquisa tem como objetivo desenvolver uma metodologia para uma representação mais refinada de dados socioeconômicos e taxas/índices de saúde por meio da elaboração de mapas dasimétricos do Município de São Paulo. Adicionalmente, pretende-se elaborar um Atlas Dasimétrico dos Indicadores Socioeconômicos e da Mortalidade neste município, de 2008 a 2010, visando a análise da distribuição geográfica da mortalidade e características socioeconômicas da população. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BARROZO, LIGIA VIZEU; PEREZ-MACHADO, REINALDO PAUL; SMALL, CHRISTOPHER; CABRAL-MIRANDA, WILLIAM. Changing spatial perception: dasymetric mapping to improve analysis of health outcomes in a megacity. Journal of Maps, v. 12, n. 5, p. 1242-1247, 2016. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.