Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo biomecânico da resistência a tração de osteotomias da tuberosidade da tíbia de cães estabilizadas com placas fixadas por parafusos ou garfo, após procedimento de avanço cranial da tuberosidade da tíbia (TTA): estudo in vitro

Processo: 10/07801-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2010 - 30 de setembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Cassio Ricardo Auada Ferrigno
Beneficiário:Cassio Ricardo Auada Ferrigno
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cirurgia veterinária  Osteotomia  Tibia  Ligamentos articulares  Biomecânica  Cães 

Resumo

Vários procedimentos cirúrgicos têm sido desenvolvidos para estabilizar joelhos de cães com ruptura de ligamento cruzado cranial (RLCC). As técnicas podem ser extras ou intra-caspulares onde o ligamento é mimetizado para restringir as forças de deslocamento cranial e rotação interna da tíbia que resultam no movimento de gaveta. As técnicas mais recentes são as osteotomias corretivas que promovem a estabilidade do joelho sem mimetizar as funções do ligamento, através de alterações na biomecânica de apoio. O avanço da tuberosidade tibial (TTA) é uma técnica para correção da RLCC que consiste no avanço da tuberosidade tibial e deslocamento cranial do ligamento patelar. No pós-operatório da cirurgia de TTA, a falha do implante é relatada em 1-5% dos membros operados. Esta porcentagem pode ser atribuída a erro de técnica ou formato do implante e estes resultados abrem perspectivas para aprimoramento do material. O estudo tem como objetivo comparar a resistência à tração de osteotomias na tuberosidade da tíbia estabilizadas com placas fixadas por parafusos (modelo X-gen - Securos®) ou garfo (modelo convencional - Securos®), através de ensaio biomecânico de tração, após o procedimento de avanço cranial da tuberosidade da tíbia. Serão estudados15 pares de membros pélvicos de cadáveres de cães, totalizando 30 tíbias. Os ensaios biomecânicos serão realizados utilizando-se máquina universal de ensaios mecânicos Kratos® modelo 5002, dotada de célula de carga de 981 N (100 kgf) com velocidade de ensaio de 22 mmmin. Os parâmetros força e deformação serão enviados ao computador IBM®-PC através do sistema de aquisição analógica Lynx® modelo ADS-2000, que permite a gravação dos parâmetros para posterior análise. O mesmo procedimento será realizado com os membros direito e esquerdo do mesmo animal cuja crista da tíbia foi fixada por garfo ou parafusos. Os resultados serão avaliados comparativamente, membro direito e esquerdo do mesmo animal realizando-se testes estatísticos não-paramétricos (ANOVA). (AU)