Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da estenose e volume de placas arteroscleróticas em artérias coronárias em pacientes com suspeita de doença arterial coronariana pela angiografia utilizando ultrassom intravascular comparado a tomografia computadorizada com 320 camadas de detectores

Processo: 10/07330-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2010 - 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Noedir Antônio Groppo Stolf
Beneficiário:Noedir Antônio Groppo Stolf
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Carlos Eduardo Rochitte ; Cristina Akiko Shirahige ; Evelinda Marramon Trindade ; Helena Leiko Ogino ; Luiz Antonio Machado Cesar ; Pedro Alves Lemos Neto
Assunto(s):Cardiologia  Doença da artéria coronariana  Arteriosclerose coronária  Angiografia  Ultrassom  Tomografia 

Resumo

No Brasil e no mundo há preocupação com a importante carga de morbi-mortalidade da doença arterial coronariana, DAC. Novas tecnologias emergiram apresentando perspectivas promissoras de melhorar a capacidade de diagnosticar esta doença. O ultra-som intravascular analisa tomograficamente todas as camadas e dimensões arteriais, permitindo discriminar fenômenos de ampliação do vaso na tentativa de acomodar a placa de aterosclerose, ou remodelamento positivo enquanto que a angiografia simples estuda apenas a luz arterial. Além disto, os rápidos avanços na tomografia computadorizada de múltiplos detectores (MDCT) tornaram viáveis as imagens não-invasivas do lúmen e da parede da artéria coronariana. A avaliação clínica e econômica no período inicial de incorporação das novas tecnologias é crucial para o planejamento dos programas de assistência. Esta avaliação objetiva explicitar a sensibilidade e a especificidade do exame de coronárias com coronarioangiografia invasiva sob visualização com o ultrassom intracoronário, USIV, comparativamente à MDCT com 320 camadas de detectores, MDCT320, mediante a revisão sistemática da literatura e o estudo clínico prospectivo de uma série de 80 pacientes adultos consecutivos portadores de dor torácica similar à angina com suspeita de doença arterial coronariana e com lesões angiograficamente indeterminadas ou ambíguas. Além disto, visa estudar os custos, os efeitos, as diferenças no manejo dos pacientes e o impacto econômico que a adoção destas práticas teria, sob a perspectiva do Sistema Único de Saúde do Brasil, o SUS. Especificamente, propõe-se avaliar a acurácia de detecção de estenose coronariana intermediária, entre 70% e e 50%, e do volume de placas arterioscleróticas em artérias coronárias. A avaliação dos custos dos exames diagnósticos, do programa de assistência e respectivas intervenções hospitalares visa qualificar e quantificar a proporção de casos que poderiam ter um manejo clínico e terapêutico diferenciado na realidade empírica comparativamente à observada na literatura, avaliar quais os ganhos incrementais em relação à assistência estabelecida com a angiografia coronariana invasiva e convencional, simples, bem como seu impacto potencial para o SUS mediante modelo de projeção das probabilidades analisadas. Os métodos incluem a dinâmica em paralelo da revisão sistemática e do estudo clínico no InCor-HC/FMUSP: 1. Busca sistemática e revisão crítica estruturada em tabela de evidências dos estudos clínicos incluindo USIV ou tomografia das artérias coronarianas nas bases indexadas PubMed/NLM-NIH, Embase, The Cochrane Library, Centre for Reviews and Dissemination (NHS EED, DARE and HTA), EuroScan databases, Ovid/USP e LILACS/Bireme-OMS, análise da heterogeneidade e, se possível, meta-análise. 2. Estudo clínico recrutará 80 pacientes consecutivos, portadores de dor torácica similar à angina com suspeita de doença arterial coronariana, que serão submetidos à MDCT320 a priori. Todos serão avaliados com a angiografia convencional invasiva utilizando USIV para determinar os requerimentos terapêuticos. Os pacientes com estenose coronariana e 50% serão tratados de acordo com as indicações dos clínicos (no InCor-HC/FMUSP, durante os anos de 2008-09, 37% dos pacientes com estenose coronariana e 50% necessitaram angioplastia e 9% tiveram indicação de cirurgia de revascularização do miocárdio). Seu seguimento clínico em um período de um, três, seis e doze meses, ao fim do qual serão reavaliados visa permitir avaliar a densidade de incidência de infarto do miocárdio, acidentes vasculares, óbito, MACEs, ou outros eventos adversos e estabelecer os custos dos tratamentos requeridos. Os conhecimentos científicos gerados, os custos implicados no programa com o USIV e a MDCT320, bem como os efeitos obtidos podem servir como parâmetros para estimular condutas apropriadas, planejamento e otimização de uso de recursos dos programas para o InCor, outras instituições e para os gestores do SUS. (AU)