Busca avançada
Ano de início
Entree

Composição florística e estrutura da Floresta Ombrófila Densa Atlântica dos Núcleos Picinguaba e Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar, São Paulo, Brasil

Resumo

Os resultados obtidos pelo Projeto Temático BIOTA Gradiente Funcional (FAPESP 03/12595-7) evidenciaram a necessidade de um estudo florístico-fitossociológico em altitudes intermediárias entre a Floresta Ombrófila Densa Submontana e a Floresta Ombrófila Densa Montana dos Núcleos Picinguaba e Santa Virgínia do PESM, bem como a necessidade de ampliar o espectro fisionômoico incluindo a Floresta Ombrófila Densa Alto Montana. O objetivo deste Auxílio à Pesquisa é complementar estes dados de forma a permitir uma análise mais detalhada e completa das fisionomias da Floresta Ombrófila Densa Atlântica, visando determinar as adaptações necessárias ao sistema de classificação da vegetação proposto por Veloso et al. (1991). A composição florística e a estrutura da Floresta Ombrófila Densa Atlântica será estudada a 600, 800 e 1.200 metros de altitude, completando o gradiente previamente estudado (Joly et al. 2008). Para tanto serão utilizadas 4 parcelas independentes de 0,25 ha subdivididas em subparcelas contíguas de 10 x 10m, totalizando 1 ha por altitude. Desta forma cada parcela de 0,25 ha será tratada como replicata amostral, ampliando o rol de ferramentas estatísticas que poderão ser utilizadas para análise dos dados. Todos os indivíduos com DAP (diâmetro à altura do peito) igual ou superior a 4,8 cm (PAP - perímetro à altura do peito ≥ 15,0 cm). Para os indivíduos perfilados serão incluídos aqueles que apresentarem pelo menos um dos perfilos dentro do critério de inclusão. A análise dos dados e a estimativa dos parâmetros fitossociológicos serão feitas através do programa FITOPAC, e análises mais refinadas serão feitas para comparação de todo gradiente altitudinal (de 0 - Floresta de Restinga a 1.200 m - Floresta Ombrófila Densa Alto Montana). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
KAMIMURA, VITOR DE ANDRADE; RODRIGUES DE MORAES, PEDRO LUIS; RIBEIRO, HENRIQUE LAUAND; JOLY, CARLOS ALFREDO; ASSIS, MARCO ANTONIO. Tree diversity and elevational gradient: The case of Lauraceae in the Atlantic Rainforest. FLORA, v. 234, p. 84-91, SEP 2017. Citações Web of Science: 1.
JOLY, CARLOS A.; METZGER, JEAN PAUL; TABARELLI, MARCELO. Experiences from the Brazilian Atlantic Forest: ecological findings and conservation initiatives. NEW PHYTOLOGIST, v. 204, n. 3, p. 459-473, NOV 2014. Citações Web of Science: 95.
SILVA, DENISE BRENTAN; CASANOVA TURATTI, IZABEL CRISTINA; GOUVEIA, DAYANA RUBIO; ERNST, MADELEINE; TEIXEIRA, SIMONE PADUA; LOPES, NORBERTO PEPORINE. Mass Spectrometry of Flavonoid Vicenin-2, Based Sunlight Barriers in Lychnophora species. SCIENTIFIC REPORTS, v. 4, MAR 7 2014. Citações Web of Science: 29.
PAVARINI, DANIEL P.; DA SILVA, DENISE B.; CAROLLO, CARLOS A.; PORTELLA, AMANDA P. F.; LATANSIO-AIDAR, SABRINA R.; CAVALIN, PEDRO O.; OLIVEIRA, VIVIANE C.; ROSADO, BRUNO H. P.; AIDAR, MARCOS P. M.; BOLZANI, VANDERLAN S.; LOPES, NORBERTO P.; JOLY, CARLOS A. Application of MALDI-MS analysis of Rainforest chemodiversity: a keystone for biodiversity conservation and sustainable use. Journal of Mass Spectrometry, v. 47, n. 11, p. 1482-1485, NOV 2012. Citações Web of Science: 7.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.