Busca avançada
Ano de início
Entree

Contribuição individual dos enantiômeros isolados da 3,4-metilenodioximetanfetamina (MDMA) comparativamente com a mistura racêmica na toxicidade hepática, renal e estriatal de ratos

Processo: 10/06612-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2010 - 31 de outubro de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Regina Lúcia de Moraes Moreau
Beneficiário:Regina Lúcia de Moraes Moreau
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Quezia Bezerra Cass
Assunto(s):N-metil-3,4-metilenódioxianfetamina  Toxicidade aguda  Estresse oxidativo  Ecstasy 

Resumo

A 3,4-metilenodioximetanfetamina (MDMA, ecstasy), derivada da anfetamina, é uma droga largamente utilizada para fins recreacionais devido à sensação de euforia, energia e desejo de socialização. Entretanto, uma exposição aguda à MDMA pode causar dano a vários órgãos e levar à fatalidade. Embora esteja contida nos comprimidos de ecstasy como racemato (uma mistura de 50% de seus enantiômeros), sua biotransformação é enantioseletiva; o enantiômero S é biotransformado mais rapidamente que o R, além de ser a forma farmacológica mais ativa. Como a biotransformação de MDMA é capaz de produzir metabólitos reativos, é possível que a administração de enantiômeros isolados de MDMA possa induzir respostas distintas após exposição aguda. Ainda não há referência na literatura sobre essa abordagem. Portanto, o objetivo deste projeto será avaliar a contribuição individual dos enantiômeros isolados de MDMA, in vivo, comparativamente com a mistura racêmica, na toxicidade hepática, renal e estriatal de ratos, após exposição aguda. Ratos Wistar machos adultos (180-220g) serão divididos em quatro grupos: controle (salina), MDMA racêmico, R-MDMA e S-MDMA (2 doses consecutivas de 10 mg/kg no intervalo de 24h, gavage). Parâmetros de estresse oxidativo serão utilizados como a medida da formação de malonaldeído, a determinação de níveis de glutationa reduzida e a atividade da glutationa-S-transferase. Como os enantiômeros da MDMA não são comercialmente disponíveis, serão obtidos pela enantioseparação da MDMA racêmica, extraída de comprimidos de ecstasy apreendidos, utilizando um sistema semi-preparativo de cromatografia líquida de alta eficiência com fase estacionária quiral. (AU)