Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso do sistem de cultivo 2D e 3D para diferenciação de células-tronco espermatogoniais e indução da espermatogênese in vitro em murinos

Processo: 10/14930-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2010 - 31 de outubro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Fernanda da Cruz Landim
Beneficiário:Fernanda da Cruz Landim
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):11/02233-7 - Uso do sistema de cultivo 2D e 3D para diferenciação de células-tronco espermatogoniais e indução da espermatogênese in vitro em murinos, BP.TT
Assunto(s):Espermatogênese  Células-tronco adultas  Imuno-histoquímica 

Resumo

O estudo das células tronco espermatogoniais (SSC) e, consequentemente da espermatogênese, pode fornecer um modelo melhor para esclarecer a biologia das SC adulta. Além disso, a compreensão dos mecanismos envolvidos no controle funcional das SSC pode proporcionar tratamentos para infertilidade masculina, entendimento sobre a origem e formação de tumores testiculares, conservação de espécies em extinção e melhoramento genético para animais de produção, entre outros temas importantes na mediciana reprodutiva. No entanto, são poucos os trabalhos que comparam diretamente os sistemas de cultivo para o desenvolvimento in vitro de SSC. Desta forma, o objetivo geral deste experimento é estudar a diferenciação celular e a indução da espermatogênese in vitro em células tronco espermatogoniais de camundongos cultivadas em sistemas 2D e 3D. Para tanto serão sacrificados camundongos com 7 dias de idade, os quais terão seus testículos removidos e macerdaos para separação das SSC. Esta suspensão celular será cultivada em dois sistema constituídos por: 2D - placas de cultivo cobertas por uma fina camada de gelatina; 3D - matriz de soft Agar (SACS). Alem disso será estudada, nos dois sistemas de cultivo, o efeito da adição de gonadotrofinas ao meio de cultivo no sucesso da progressão meióticas das células germinativas. No inicio do cultivo, bem como em suas deferentes etapas, será caracterizado, através de imunocitoquimica, as células desenvolvidas durante a espermatogênese in vitro, assim como as células somáticas co-cultivadas. Alem disso será quantificado, através da coloração de iodeto de propídeo, a carga de DNA nuclear das células cultivadas. (AU)