Busca avançada
Ano de início
Entree

Biodiversidade de mosquitos (Diptera : Culicidae) nos parques municipais da cidade de São Paulo

Processo: 10/51230-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2010 - 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Mauro Toledo Marrelli
Beneficiário:Mauro Toledo Marrelli
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Assunto(s):Biodiversidade  Culicidae  Diptera  Marcador molecular  Mosquitos  Hábito alimentar animal  Parques 

Resumo

Diante da escassez de informações sobre os mosquitos na cidade de São Paulo, este projeto propõe estudar essas espécies (Diptera: Culicidae) presentes nas áreas verdes, representadas pelos Parques Municipais da cidade. Esses ambientes são potenciais refúgios para mosquitos, dentre os quais alguns vetores relevantes. Será dada ênfase às espécies Aedes aegypti, Aedes albopictus e Culéx quinquefasciatus, dentre outras de interesse em Saúde Pública. Este projeto* será realizado como uma parceria entre pesquisadores do Departamento de Epidemiologia da Faculdade de Saúde Pública (USP), Instituto de Medicina Tropical (USP), Departamento de Parques e Áreas Verdes (SVMA-PMSP) e Centro de Controle de Zoonoses (SMS-PMSP). O plano de trabalho inclui, identificação da fauna de Culicídeos, estudo dos aspectos ecológicos, caracterização molecular de algumas populações de mosquitos, identificação do hábito alimentar, identificação de infecção nos mosquitos por flavivírus. As formas imaturas serão coletadas em criadouros de solo como lagos, poças e também nos artificiais, utilizando-se conchas entomológicas e pipetas. Os mosquitos adultos serão capturados por meio de aspiradores, armadilhas automáticas e armadilha, de Shannon. Todo o material será identificado e catalogado nos Laboratórios de Entomologia em Saúde Pública da FSP/USP, e Laboratório de Fauna Sinantrópica do CCZ. Espera-se com essa pesquisa conhecer o papel desempenhado pelas áreas verdes da metrópole, quanto a servir de refugio de importantes espécies associadas a doenças como a dengue, além de outras com potencial de veiculação de arabovírus diversos, como o gênero Çulex, cuja presença é marcante em áreas urbanas. O produto esperado será de utilidade na orientação de ações de controle, além de indicar as espécies que resistiram ao processo de urbanização e permaneceram "ilhadas" nesses refúgios. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Mosquitos vetores de doenças ganham com redução de áreas verdes em São Paulo 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.