Busca avançada
Ano de início
Entree

O impacto de comportamentos alimentares inadequados sobre o tratamento de crianças e adolescentes com Diabetes tipo 1

Resumo

Atitudes e comportamentos alimentares patológicos são relativamente comuns em adolescentes e adultos jovens com diabete tipo 1. Dieta e preocupação excessiva com o peso estão presentes dentro de todo o tratamento da diabete, e mantém estreita relação com a etiopatogenia do transtorno alimentar (TA). Por outro lado, TA parece influenciar de forma negativa o controle glicêmico dos pacientes com diabete tipo 1. No entanto, estudo de prevalência e característica de problemas alimentares em crianças e adolescentes não está ainda estabelecido. Objetivo. A presente pesquisa se propõe à investigar fatores psicológicos, familiares e biológicos que possam estar envolvidos na manifestação de um TA, em crianças e adolescentes com diabete tipo 1. Avaliação da associação entre sintomas alimentares e dificuldades no controle glicêmico. Validação do EDE (Eating Disorder examination), versão para crianças. Método. Pacientes entre 9 e 16 anos atendidos no ambulatório de endocrinologia pediátrica-UNIFESP terão comportamentos alimentares avaliados, por meio da sessão do Dawba (Development and Well-Being Assessment) de transtorno alimentar e pelo EDE,-versão para crianças. Problemas e sintomas relacionados a auto estima e imagem corporal serão investigados pelo Inventário de Depressão na Infância (IDI) e pelo Questionário de Imagem Corporal. Parâmetros antropométricos e hemoglobina glicosilada e aderência serão medidos e correlacionados à investigação de comportamento alimentar. Para avaliação de sintomas alimentares dos pais, será utilizado o questionário auto-aplicável EDE-Q (Eating Disorder Examination - Questionnaire). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio: