Busca avançada
Ano de início
Entree

Envolvimento de receptores para o fator liberador da corticotropina dos núcleos central e basolateral da amígdala na modulação da imobilidade tônica e da nocicepção em cobaias

Processo: 10/10936-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2010 - 30 de novembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Christie Ramos Andrade Leite Panissi
Beneficiário:Christie Ramos Andrade Leite Panissi
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados:Alberto Ferreira Donatti
Assunto(s):Dor  Mecanismos de defesa  Neurofisiologia  Analgesia 

Resumo

A resposta comportamental de imobilidade tônica (IT) é associada com situações de perigo intenso, tal qual o confronto entre a presa e um predador. Em laboratório, este comportamento é facilmente induzido por meio de contenção física e inversão postural representando um modelo para o estudo das respostas emocionais associadas ao medo inato. Com relação à IT, bem como com as respostas que envolvem diferentes níveis de estresse emocional, estudos mostram correlações entre alterações no nível de corticosterona plasmático e estas respostas comportamentais emocionais. Particularmente, o desencadeamento da resposta de IT está associado a elevada concentração plasmática de corticosterona, bem como, do hormônio liberador de corticotropina (ACTH). Em adição, há aumento da concentração plasmática de beta-endorfinas, a qual pode estar relacionada com mecanismos modulatórios da dor. De fato, durante a emissão dos comportamentos defensivos evidências demonstram o acionamento conjunto do sistema de controle antinociceptivo, sendo este de suma importância para a emissão adequada da estratégia comportamental escolhida. Considerando que o principal responsável pela liberação do ACTh e subseqüentemente da corticosterona é o fator liberador de corticotropina (CRF), é possível que este neuropeptídeo esteja envolvido na modulação central dos processos emocionais e das desordens psiquiátricas tal como a ansiedade e a depressão, bem como nas respostas emocionais e comportamentais. Além disso, análise das funções do CRF demonstra que seu desenvolvimento vai muito mais além do que ser apenas um estímulo para liberação do ACTH hipofisário, estando associado a muitas respostas endócrinas, autonômicas e comportamentais que acompanham o estresse. Em relação ao substrato neural envolvido na modulação comportamental emocional, nossos trabalhos anteriores demonstraram o comprometimento de diferentes áreas do neuroeixo, incluindo o complexo amigdalóide na modulação tanto da resposta de IT bem como na nocicepção. Ainda, trabalhos mostram que o núcleo basolateral da amígdala (BLA) possui alta concentração de receptores para CRF, em contraste com núcleo central da amígdala (CeA) que possui uma das mais altas densidades de imunorreatividade ao neuropeptídeo CRF. Considerando estas evidências, o objetivo deste projeto é analisar se a ativação de receptores para CRF do BLA ou do CeA podem alterar a duração da resposta de IT, bem como da modulação da nocicepção em cobaias avaliadas pelo teste de placa quente. Com a realização deste projeto acreditamos que será aprofundado o conhecimento do mecanismo intrínseco no BLA e CeA envolvendo o neuropeptídeo CRF, na modulação de estados emocionais correlacionados com ansiedade, estresse e medo inato, tal como na resposta de IT, bem como na nocicepção. Tal conhecimento pode ser fundamental para a melhor compreensão dos mecanismos neuroendócrinos envolvidos nas respostas de medo, ansiedade e da dor em humanos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SPINIELI, RICHARD LEANDRO; ANDRADE LEITE-PANISSI, CHRISTIE RAMOS. Similar effect of CRF1 and CRF2 receptor in the basolateral or central nuclei of the amygdala on tonic immobility behavior. Brain Research Bulletin, v. 137, p. 187-196, MAR 2018. Citações Web of Science: 2.
DONATTI, ALBERTO FERREIRA; ANDRADE LEITE-PANISSI, CHRISTIE RAMOS. Activation of corticotropin-releasing factor receptors from the basolateral or central amygdala increases the tonic immobility response in guinea pigs: An innate fear behavior. Behavioural Brain Research, v. 225, n. 1, p. 23-30, NOV 20 2011. Citações Web of Science: 9.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.