Busca avançada
Ano de início
Entree

Importância da espessura gengival na formação de retrações gengivais em sítios reabilitados com próteses fixas subgengivais

Processo: 10/12777-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2010 - 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Arthur Belem Novaes Junior
Beneficiário:Arthur Belem Novaes Junior
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Retração gengival  Prótese dentária  Colágeno 

Resumo

Muita atenção é dada à quantidade de tecido queratinizado (altura e espessura) presente ao redor de dentes e implantes, sendo considerada como um fator importante na manutenção da saúde periodontal e estética gengival. Pesquisas têm demonstrado que quando próteses subgengivais estão inseridas e um pobre controle de biofilme microbiano é realizado, ocorre maior incidência de inflamação gengival, principalmente em periodontos delgados, culminando com o desenvolvimento de retrações gengivais em dentes e implantes. Desta forma na tentativa de aumentar a altura e/ou espessura da mucosa queratinizada, o enxerto de tecido conjuntivo subepitelial autógeno tem sido indicado. Na tentativa de evitar a necessidade de uma área doadora autógena, objetivando diminuir a morbidade e aumentar a velocidade deste procedimento, recentemente foram desenvolvidos novos produtos, como uma matriz colágena de origem suína (MCS). Portanto, proposta deste trabalho será avaliar se esta nova MCS pode aumentar a espessura e altura da faixa de tecido queratinizado gengival e pode prevenir a inflamação e formação de retrações gengivais em pré-molares caninos tratados com próteses com margens subgengivais. Serão utilizados 8 cães, nos quais serão realizados quatro grupos experimentais. O Grupo 1 receberá a MCS na região de P2, P3 e P4, com instalação de próteses. O Grupo 2 receberá tratamento com retalho dividido sem inserção da MCS na região de P2, P3 e P4, com instalação de próteses. No Grupo controle 1 será realizado um retalho dividido com inserção da MCS na região de P1, sem instalação das próteses. Já o Grupo controle 2 terá retalho dividido, sem inserção de prótese e da MCS na região de P1. Todas as próteses utilizadas serão inseridas 8 semanas após as cirurgias, com margens subgengivais de 1mm. Doze semanas após a colocação das próteses, os cães serão sacrificados. As medidas clínicas serão realizadas no pré-operatório, antes da instalação das próteses e antes do sacrifício. Será avaliada a presença ou ausência de retrações gengivais e a espessura da mucosa queratinizada. Após o preparo das peças será realizada a análise histomorfométrica e imunohistoquímica, avaliando a altura da margem gengival e a área de inflamação tecidual (infiltrado inflamatório, presença de linfócitos e macrófagos). Os valores serão calculados em porcentagem e após a execução dos testes de normalidade, será realizada análise estatística paramétrica ou não paramétrica indicada. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DANILO MAEDA REINO; LUCIANA PRADO MAIA; PATRÍCIA GARANI FERNANDES; SERGIO LUIS SCOMBATTI DE SOUZA; MARIO TABA JUNIOR; DANIELA BAZAN PALIOTO; MARCIO FERMANDES DE MORAES GRISI; ARTHUR BELÉM NOVAES JR. A Randomized Comparative Study of Two Techniques to Optimize the Root Coverage Using a Porcine Collagen Matrix. Brazilian Dental Journal, v. 26, n. 5, p. 445-450, Out. 2015.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.