Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação qualitativa e quantitativa das tensões transmitidas a implantes curtos, por meio da fotoelasticidade

Resumo

Tábuas ósseas extremamente reabsorvidas são freqüentemente difíceis de serem reabilitadas por resultar em relacionamento oclusal desfavorável, com aumento do espaço maxilo-mandibular, ocasionando inevitáveis conseqüências protéticas, como aumento das dimensões vestíbulo-linguais e ocluso-gengivais sendo que tratamentos com implantes osteointegráveis podem, com sucesso, ser uma excelente alternativa. Contudo, a altura reduzida do osso alveolar pode limitar anatomicamente a colocação do implante, principalmente nas regiões posteriores da mandíbula e maxila. A capacidade da utilização de implantes curtos, com o mesmo alcance de sucesso clínico que os longos, podem proporcionar vantagens tanto aos pacientes quanto aos cirurgiões-dentistas. O objetivo do presente trabalho é avaliar qualitativa e quantivamente, por meio de análise fotoelástica, as tensões impostas aos implantes e rebordo alveolar, variando o comprimento dos implantes (curtos e longos), o material de revestimento estético da restauração (cerâmica e resina) e a configuração das restaurações (próteses em monobloco e coroas unitárias). A análise qualitativa e quantitativa das tensões geradas será realizada pelo método fotoelástico que será composto por um primeiro pré-molar três implantes substituindo o segundo pré-molar e o primeiro molar e segundo molar. As próteses analisadas serão: Grupo 1- um implante de 6mm (WS), um de 11mm e um de 13mm; Grupo 2- dois implantes de 6mm (WS) e um implante de 11mm; Grupo 3- três implantes de 6mm (WS); Grupo 4- três implantes 11mm (grupo controle). Uma carga oclusal balanceada de 250N será aplicada em todas as estruturas do modelo. Registros digitais fotográficos das franjas fotoelásticas serão realizados para as análises. Testes estatísticos serão aplicados para análise e discussão dos resultados obtidos. (AU)