Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da concentração de etanol em amostras de saliva e ar exalado após a utilização de produtos de higiene oral

Processo: 10/07508-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2010 - 31 de maio de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Bruno Spinosa de Martinis
Beneficiário:Bruno Spinosa de Martinis
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados:Alice Aparecida da Matta Chasin ; Ricardo Henrique Alves da Silva
Assunto(s):Toxicologia forense  Produtos para higiene dental e bucal  Saliva  Etanol  Cromatografia a gás  Etilômetro 

Resumo

A associação entre a bebida alcoólica e direção indica alta prevalência de morbidade e mortalidade, sendo observadas mudanças comportamentais quando na condução veicular e, apesar das legislações vigentes, observam-se altos índices de utilização de bebidas alcoólicas por condutores de veículos. A verificação da embriaguez em condutores é realizada, principalmente, pela medição do álcool no ar alveolar por meio do uso de etilômetro ou mais comumente conhecido como bafômetro, cuja tecnologia já está bem estabelecida e, além de rápida e capaz de realizar amostragem adequada, fornece resultados que se aproximam muito do valor real de álcool no sangue.Devido ao fato do álcool que está presente nas bebidas alcoólicas ser o mesmo presente nos enxaguatórios bucais, a possibilidade da indicação da presença de etanol na realização de teste do bafômetro, é uma situação que deve ser cuidadosamente considerada, pois pode indicar um resultado falso positivo para a ingestão de álcool, ou ainda, ser utilizado como subterfúgio para motoristas irresponsáveis.Neste trabalho serão avaliadas através do teste do bafômetro a concentração de etanol no ar exalado e a concentração do mesmo álcool em amostras de saliva empregando a técnica de cromatografia em fase gasosa, após a utilização de diferentes enxaguatórios bucais, em diferentes tempos, e comparar os resultados de ambos os testes. Serão testados os seguintes grupos: Grupo Controle A (bochecho com água), Grupo Controle B (bochecho com enxaguatório bucal sem álcool) e Grupo Experimental (bochecho com enxaguatório bucal contendo álcool). Além disso, verificar-se-á o conteúdo de álcool nos referidos produtos, haja vista a ausência de informação na maioria dos rótulos e/ou bulas. Pretende-se, assim, verificar se os métodos atualmente aplicados pela rotina policial e as práticas legislativas estão sendo aplicadas corretamente, permitindo avaliar condições que podem produzir erros aos exames preconizados. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PICOLO BUENO, LAIS HELENA; ALVES DA SILVA, RICARDO HENRIQUE; AZENHA, ALINE VIEIRA; DE SOUZA DIAS, MARIANE CRISTINE; DE MARTINIS, BRUNO SPINOSA. Oral fluid as an alternative matrix to determine ethanol for forensic purposes. Forensic Science International, v. 242, p. 117-122, SEP 2014. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.