Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação colostral e de níveis séricos imunes de bezerros holandeses oriundos de vacas acometidas ou não por mastite

Resumo

O fornecimento de colostro aos bezerros é essencial para a transferência de imunidade passiva, pois o tipo de placenta dos bovinos, epitéliocorial, impede a passagem de anticorpos durante a gestação. Além de imunoglobulinas e citocinas, as proteínas de fase aguda também são transferidas ao neonato. As citocinas estimulam o desenvolvimento do sistema imune neonatal. As proteínas de fase aguda auxiliam no diagnóstico precoce das doenças inflamatórias. Além desses componentes colostrais, a presença ou não da mastite clínica ou assintomática pode influenciar na quantidade e qualidade colostral, bem como nos elementos imunes presentes, principalmente no que concerne às concentrações de imunoglobulinas. Assim, esse projeto tem como finalidade avaliar as secreções colostrais de vacas com e sem mastite, com relação às concentrações de imunoglobulinas, citocinas, e proteínas de fase aguda. Para tanto, amostras de colostro de 40 fêmeas bovinas da raça holandesa serão utilizadas. As mesmas determinações serão feitas no soro dos seus bezerros. As amostras de colostro e de sangue serão colhidas logo após o parto, e ao longo de 48 horas. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GUILHERME G.F. SANTOS; MAURÍCIO DESCHK; ANDRÉ K.G. SILVA; TATIANA S. POLÓ; MARCIA MARINHO; JULIANA R. PEIRÓ; FRANCISCO L.F. FEITOSA. Influência da mastite nas frações eletroforéticas do colostro de vacas da raça Holandesa. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 38, n. 3, p. -, Mar. 2018.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.