Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento reprodutivo da prole masculina obtida de ratas tratadas com carbamazepina em diferentes períodos da gestação

Processo: 10/06698-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2010 - 30 de novembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Embriologia
Pesquisador responsável:Sandra Maria Miraglia Valdeolivas
Beneficiário:Sandra Maria Miraglia Valdeolivas
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Samara Urban de Oliva ; Taiza Stumpp Teixeira
Assunto(s):Espermatozoides  Carbamazepina 

Resumo

A carbamazepina (CBZ) é um fármaco amplamente utilizado no controle de convulsões, no tratamento da neuralgia do trigêmeo e em desordens afetivas. Ela apresenta efeito inibitório sobre a esteroidogênese testicular e pode causar alterações da concentração plasmática de testosterona bioativa. Processos dependentes de níveis adequados de testosterona podem ser alterados pela administração deste fármaco, inclusive após o nascimento. Sabe-se que o desenvolvimento e a manutenção da espermatogênese na fase pós-natal são dependentes, quer direta ou indiretamente, do nível plasmático de testosterona. Alterações funcionais da célula de Leydig, uma vez ocorridas na fase intra-uterina, podem acarretar danos das vias genitais masculinas bem como das glândulas acessórias que serão percebidos pós-natalmente, em fase tardia próxima à puberdade e na fase adulta. A CBZ também é teratogênica, causando malformações congênitas do aparelho urogenital além de provocar hipotiroidismo em pacientes que necessitam utilizá-la cronicamente. Hormônios da tireóide (T3 e T4) parecem controlar a proliferação e a diferenciação das células de Sertoli, tanto na fase pré-natal como na pós-natal. De fato, células de Sertoli exercem fundamental papel no estabelecimento da homeostase do microambiente do epitélio seminífero, controlando a diferenciação, proliferação e morte das células germinativas. Além disto, durante a fase embrionária, as interações entre células de Sertoli e os gonócitos são cruciais e repercutem no desenvolvimento normal da gônada masculina, tanto na fase púbere como na adulta. Há também o aspecto clínico, pois mulheres grávidas ou em idade fértil fazem uso ininterrupto deste medicamento. Dados referentes aos possíveis efeitos adversos tardios de CBZ sobre a reprodução masculina da prole proveniente de mães expostas ao referido fármaco, durante a gestação, são escassos, fragmentados e de ocorrência praticamente inexistente na literatura. Em estudo anterior, nosso grupo demonstrou que ratos tratados com CBZ a partir da época do desmame (23 dias) até a puberdade ou até a fase adulta, apresentam alterações reprodutivas tardias. Desta forma, em vista dos protocolos de uso contínuo de CBZ, indicados em clínica para tratamento de mulheres em idade fértil e com potencial capacidade reprodutiva, decidiu-se pela realização deste estudo experimental, visando contribuir para o esclarecimento da ação tardia da CBZ sobre a espermatogênese e a maturação sexual da prole masculina oriunda de mães tratadas durante a prenhez. Assim, pretende-se realizar estudo de parâmetros espermáticos e investigar as alterações morfológicas, morfométricas e estereológicas do sistema genital masculino (testículo, epidídimo e glândulas acessórias), com ênfase no testículo, utilizando-se ratos que se encontrem nas fases neonatal, púbere e adulta e que sejam provenientes de proles cujas mães forem submetidas, durante a prenhez, ao tratamento com CBZ, em fases críticas do desenvolvimento deste sistema. (AU)