Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo ambiental no estuário do Rio Itanhaém, litoral sul do estado de São Paulo

Processo: 01/09881-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Regular
Vigência: 01 de julho de 2003 - 31 de outubro de 2006
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Sueli Yoshinaga Pereira
Beneficiário:Sueli Yoshinaga Pereira
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Hidrologia  Hidrogeologia  Paleohidrogeologia  Estuários  Ecossistemas de mangue  Rio Itanhaém 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Contribuições...climáticas_101_122_123.pdf

Resumo

A presente proposta de pesquisa tem como objetivos gerais: 1) análise do ambiente de deposição e tafonomia de macrorrestos e polens do ambiente subaquático e das modificações antrópicas no estuário do rio, com aplicação da actuo-paleontologia, hidrogeologia e sedimentologia atual (geomorfologia deposicional); 2) elaboração de modelos integrados que forneçam subsídios aos estudos de impacto ambiental que as atividades antrópicas acima citadas produzem; 3) definição de indicadores ambientais para ambientes estuarinos. O estuário do rio Itanhaém localiza-se no litoral sul do Estado de São Paulo, no município de Itanhaém, e forma parte da Baixada Santista. Apresenta características próprias de regiões tropicais, tanto nos aspectos ambientais (p. ex. vegetação de mangue e restinga) como socioeconômicos, sendo o segundo maior estuário do estado (superado apenas pelo Ribeira, mais ao sul, nas proximidades da divisa como o Paraná) (Lamparelli, 1999). Possui uma área de manguezal de 3,75 km2 (Lamparelli, 1999), considerada uma das mais bem protegidas do estado, onde se faz possível o estudo da sua evolução durante o Holoceno. Ao longo do rio – a montante dos mangues – existem inúmeros pontos de exploração de areia, muitos já abandonados, os quais alteraram significativamente o perfil hidrológico, formando grandes lagos. O curso do rio Itanhaém foi modificado há mais de 50 anos por causa da abertura de um canal ligando os rios Branco e Preto. Toda a margem do referido rio bem como de seus afluentes é ocupada pela densa mata de restinga, em sua maior parte em condições primárias de conservação, que contribui com material vegetal (folhas, sementes, polens, etc.) para os sedimentos do rio. Em áreas localizadas existe vegetação mais recente – matas secundárias e plantações, além da própria vegetação de mangue. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
RICARDI-BRANCO, FRESIA; BRANCO, FABIO C.; GARCIA, RICARDO J. F.; FARIA, RAFAEL S.; PEREIRA, SUELI Y.; PORTUGAL, RODRIGO; PESSENDA, LUIZ C.; PEREIRA, PAULO R. B. PLANT ACCUMULATIONS ALONG THE ITANHAEM RIVER BASIN, SOUTHERN COAST OF SAO PAULO STATE, BRAZIL. PALAIOS, v. 24, n. 7-8, p. 416-424, JUL-AUG 2009. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.