Busca avançada
Ano de início
Entree

Resistência à cloroquina em Plasmodium vivax: avaliação fenotípica e molecular na Amazônia Ocidental brasileira

Processo: 10/51835-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2010 - 30 de novembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Marcelo Urbano Ferreira
Beneficiário:Marcelo Urbano Ferreira
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Malária  Plasmodium vivax 

Resumo

Cerca de 85% dos 300.000 casos clínicos de malária notificados anualmente na Amazônia brasileira devem-se a Plasmodium vivax. A partir de 1989 observa-se resistência de P. vivax à cloroquina, o esquizonticida sangüíneo utilizado no tratamento da malária vivax desde 1946; descrita inicialmente em Papua Nova Guiné, logo disseminou-se ao Sudeste e Sul da Ásia e, mais recentemente, à América do Sul. No Brasil, os únicos disponíveis provêm de 109 pacientes tratados em Manaus; destes, 10% apresentaram recidiva parasitária até 28 dias após o tratamento. Conhecer os padrões de resistência à cloroquina em diferentes áreas endêmicas da Amazônia é central para o planejamento de estratégias de controle da malária no Brasil. Este projeto tem como objetivos: (a) investigar se isolados de Plasmodium vivax da Amazônia Ocidental brasileira apresentam evidência de resistência à cloroquina, com base em ensaios de resistência ex-vivo realizados com parasitos frescos e com parasites criopreservados e (b) investigar se a presença do fenótipo de resistência à cloroquina, determinado em ensaios ex-vivo, pode ser predito pela tipagem de quatro polimorfismos não-sinônimos (N89S, N500D, L908M, Y976F e F1076L) previamente descritos em PvMDR1, homólogo de glicoproteína P potencialmente associado à resistência a múltiplos antimaláricos. Propõe-se aqui, pela primeira vez em populações de P. vivax do Brasil, o estudo simultâneo de polimorfismos em pvmdrl e do fenótipo de resistência à CQ ex-vivo. A análise fenotipica in vitro, pioneira no Brasil, baseia-se em protocolo amplamente utilizado no Sudeste Asiático e previamente padronizado em nosso laboratório de campo, no Acre. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Variabilidade genética do parasita dificulta controle da malária, indica estudo 
Parasite's genetic variability hinders control of malaria, study shows 
La variabilidad genética del parásito dificulta el control del paludismo 
Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Um parasita com muitas identidades 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE OLIVEIRA, THAIS C.; RODRIGUES, PRISCILA T.; MENEZES, MARIA JOSE; GONCALVES-LOPES, RAQUEL M.; BASTOS, MELISSA S.; LIMA, NATHALIA F.; BARBOSA, SUSANA; GERBER, ALEXANDRA L.; DE MORAIS, GUILHERME LOSS; BERNA, LUISA; PHELAN, JODY; ROBELLO, CARLOS; DE VASCONCELOS, ANA TEREZA R.; ALVES, JOAO MARCELO P.; FERREIRA, MARCELO U. Genome-wide diversity and differentiation in New World populations of the human malaria parasite Plasmodium vivax. PLoS Neglected Tropical Diseases, v. 11, n. 7 JUL 2017. Citações Web of Science: 8.
DEL CARMEN, ROSA; VARGAS-RODRIGUEZ, MILUSKA; BASTOS, MELISSA DA SILVA; MENEZES, MARIA JOSE; ORJUELA-SANCHEZ, PAMELA; FERREIRA, MARCELO U. Single-Nucleotide Polymorphism and Copy Number Variation of the Multidrug Resistance-1 Locus of Plasmodium vivax: Local and Global Patterns. American Journal of Tropical Medicine and Hygiene, v. 87, n. 5, p. 813-821, NOV 2012. Citações Web of Science: 19.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.