Busca avançada
Ano de início
Entree

Origem e evolucao petrogenetica e estrutural do granito carlos chagas:faixa aracuai (leste do brasil).

Processo: 10/50475-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2010 - 30 de novembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geologia
Pesquisador responsável:Marcos Egydio da Silva
Beneficiário:Marcos Egydio da Silva
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IGC). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Auxílios(s) vinculado(s):12/50905-7 - Análises de minerais detríticos mediante métodos isotópicos de unidades do Paleozóico Inferior da região Peri-cratônica Bonaerense (Argentina): implicações para a procedência sedimentar, processos de exumação e correlações com outras áreas, AP.R
Assunto(s):Geocronologia 

Resumo

A faixa Araçuaí mostra em afloramentos um domínio com mais de 300 km de comprimento por 100 km de largura, constituído de maciços intrusivos variados (tonalitos, granodioritos, granitos, chamoquitos) alojados em um "granito peraluminoso", denominado Carlos Chagas, o qual representa na realidade, o produto da fusão quase total da crosta mediana. A meta deste projeto é um estudo detalhado sobre a origem desta unidade granítica abrangendo seus aspectos petrográficos, metamórficos, geoquímicos, geocronológicos e estruturais, visando a elaboração de um modelo tectônico coerente para esse setor da faixa Araçuaí. A semelhança do "granito" Carlos Chagas, os principais maciços intrusivos nessa crosta fundida também serão estudados através da Anisotropia de Suscetibilidade Magnética (ASM), visando a determinação da trama magmática em termos de orientação da foliação e lineação mineral, estabelecendo uma relação magnética/estrutural, auxiliando no conhecimento da história deformacional regional. As datações U/Pb, Ar/Ar e Sm/Nd visam a determinação da idade do "granito" Carlos Chagas e de sua deformação na faixa Araçuaí. Os resultados referentes à anisotropia sísmica sob o "granito" Carlos Chagas e regionalmente trarão informações relevantes sobre a estruturação do manto superior e crosta inferior e de um possível acoplamento mecânico entre crosta e manto no decorrer do processo colisional que originou o orógeno Araçuaí. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MONDOU, MATHIEU; EGYDIO-SILVA, MARCOS; VAUCHEZ, ALAIN; RAPOSO, MARIA IRENE B.; BRUGUIER, OLIVIER; OLIVEIRA, ALEXANDRA FERNANDES. Complex, 3D strain patterns in a synkinematic tonalite batholith from the Aracuai Neoproterozoic orogen (Eastern Brazil): Evidence from combined magnetic and isotopic chronology studies. JOURNAL OF STRUCTURAL GEOLOGY, v. 39, p. 158-179, JUN 2012. Citações Web of Science: 16.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.