Busca avançada
Ano de início
Entree

Preservação em laboratório e estudos de variabilidade genética da ferrugem das mirtáceas (Puccinia psidii)

Processo: 10/51923-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2010 - 30 de novembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Christiane Ceriani Aparecido
Beneficiário:Christiane Ceriani Aparecido
Instituição-sede: Instituto Biológico (IB). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):12/05254-8 - Preservação em laboratório e estudos de variabilidade genética da ferrugem das mirtáceas (Puccinia psidii), BP.TT
11/00452-3 - Preservação em laboratório e estudos de variabilidade genética da ferrugem das mirtáceas (Puccinia psidii), BP.TT
Assunto(s):Fitopatologia  Myrtaceae  Ferrugem (doença de planta)  Fungos fitopatogênicos  Puccinia psidii  Variação genética 

Resumo

Apesar da extrema importância fitopatogênica dos microrganismos pertencentes à Ordem Uredinales, causadores das ferrugens, poucos dados a cerca de seu ciclo de vida são conhecidos e, menor número de dados existe com relação aos agentes causadores das ferrugens tropicais. No Brasil, uma das doenças que tem apresentado grande importância econômica é a ferrugem das mirtáceas, causada por Puccinia psidii. Ensaios biológicos de inoculações cruzadas demonstraram a existência de populações que diferem patologicamente, conforme o hospedeiro. O conhecimento da variabilidade genética e fisiológica de P. psidii é de extrema importância porque possibilita o estudo, escolha e aplicação de métodos de manejo e controle mais acertados, melhorando os programas de manejo da doença, que tem causado prejuízos significativos em eucaliptais e cultivos de mirtáceas frutíferas. Com este objetivo, outro aspecto importante refere-se à preservação do patógeno em laboratório que, devido a ser um organismo biotrófico, torna sua manutenção para a realização das pesquisas muito trabalhosa, necessitando do hospedeiro vivo. Portanto, o presente estudo tem como objetivos: 1) avaliar métodos para a preservação de urediniosporos e teliosporos em laboratório; 2) verificar viabilidade e patogenicidade de estruturas infectivas armazenadas sob diferentes condições; 3) realizar inoculações experimentais para separar as diferentes sub-populações coletadas de diferentes regiões geográficas e/ou hospedeiros; 4)- avaliar, por meio de PCR e sequenciamento, a variabilidade molecular das diferentes sub-populações. (AU)