Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da resposta imune celular, pela expressão de CD4, CD8, CD4+CD25+, CD28, CD80, CD86, CD152 e NK, por meio de imunoistoquímica, em carcinossarcoma mamário canino

Processo: 10/10801-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2011 - 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Wilter Ricardo Russiano Vicente
Beneficiário:Wilter Ricardo Russiano Vicente
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Pesq. associados:Caio de Faria Tiosso
Assunto(s):Neoplasias mamárias  Neoplasias em animal  Carcinossarcoma  Células matadoras naturais  Imuno-histoquímica  Antígenos CD  Cães 

Resumo

O estudo dos tumores mamários em cadelas revela-se como um excelente modelo para a investigação das neoplasias mamárias em humanos. Tumores malignos expressam antígenos que estimulam e servem de alvos para a imunidade tumoral. O sistema imune inato compreende neutrófilos, macrófagos, células dendríticas e células NK. A atividade de células NK contra células tumorais, está correlacionada com a redução ou não exressão de moléculas de MHC de classe I induzindo citólise das células alvo. O sistema imune adquirido desenvolve sua participação através da imunidade adaptativa, composta pelos linfócitos B e T e da co-participação de células da imunidade inata. Os linfócitos T CD4 secretam citocinas capazes de ativar outras células do sistema imune como as células T CD8 citotóxicas, que destroem as células infectadas por microrganismos intracelulares. A proliferação e diferenciação das células T requerem sinais fornecidos por moléculas das APCs (células apresentadoras de antígenos), chamadas de co-estimuladores, B7-1(CD80) e B7-2(CD86), que podem se ligar ao CD28, expressa nas células T auxiliares, promovendo ativação dessas células T sensibilizando-as para proliferação e produção de citocinas; ou podem se ligar ao CD152, também expressa na célula T auxiliar, inibindo sua ativação. Outra forma de regulação negativa do sistema imune são as TREGS, que inibem a ativação das células T (CD4 e CD8) e das APCs, representando cerca de 5% dos linfócitos T CD4 do sangue periférico, caracterizadas pela expressão constitutiva das moléculas FOXP3, GITR, CTLA-4 e altos níveis de CD25. Este trabalho visa avaliar a expressão, através de imunoistoquímica, do infiltrado linfocitário (CD4, CD8, CD4+CD25+, CD28, CD80, CD86, CD152 e NK), em carcinossarcoma mamário canino, visando detectar a eficácia da estimulação e defesa celular do sistema imune neste tipo de neoplasia, que representa a maioria dos tumores mamários malignos diagnosticados em fêmeas caninas. (AU)