Busca avançada
Ano de início
Entree

A evolução das galáxias na era dos grandes levantamentos

Processo: 10/17649-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2011 - 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Astrofísica Extragaláctica
Pesquisador responsável:Laerte Sodré Junior
Beneficiário:Laerte Sodré Junior
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Claudia Lucia Mendes de Oliveira ; Luis Raul Weber Abramo
Bolsa(s) vinculada(s):12/06430-4 - Caracterização de compósitos para montagem de conectores multi-fibras ópticas, BP.TT
12/06405-0 - Desenvolvimento da logística de polimento para dispositivos terminais de fibras ópticas, BP.TT
11/14045-0 - Desenvolvimento e construção de cápsula estrutural para um conector de fibras ópticas tipo multifibras a ser usado no projeto PFS/FOCCOS, BP.TT
Assunto(s):Galáxias  Matéria escura 

Resumo

Entender como as galáxias se formam e evoluem continua sendo um dos mais expressivos problemas da astrofísica atual. Para enfrentar este desafio, nosso grupo vem desenvolvendo uma técnica de síntese espectral que denominamos síntese empírica de populações e que permite identificar as populações estelares dominantes das galáxias a partir da análise de seus espectros. Esta técnica é apropriada para aanálise dos dados produzidos por grandes levantamentos (surveys), que cobrem áreas expressivas do céu e que se tornaram ferramentas essenciais para abordar de forma eficiente inúmeros problemas da astrofísica e da cosmologia. Aplicamos esta técnica extensivamente aos dados do SDSS, examinando diversas propriedades da população de galáxias a partir de estudos envolvendo quase um milhão de espectros. Neste projeto desejamos tanto extender a síntese empírica de populações a altos redshifts quanto participar ativamente do desenho e implementação de dois novos levantamentos espectroscópicos e fotométricos de grandes áreas do céu, o J-PAS (Javalambre Physics of the Accelerating Universe Survey) e o SuMIRe (Subaru Measurement of Images and Redshifts). Este último levantamento será conduzido com o auxílio de um novo espectrógrafo, o PFS (Prime Focus Spectrograph), de cuja construção fomos convidados a participar. Nosso objetivo com esse auxílio é obter recursos que permitam o efetivo desenvolvimento dessas atividades e, principalmente, possibilite se fazer um estudo preliminar de um subsistema do PFS denominado FOCCOS, envolvendo as fibras ópticas e seus conectores e que proverá a interface óptica entre o telescópio e o espectrógrafo. Embora o objetivo principal desses dois levantamentos seja o estudo da energia escura, eles devem trazer contribuições inestimáveis para diversas áreas da astronomia moderna. (AU)