Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da configuração do preparo de inlays na distribuição de tensões e resistência à fratura de pré-molares superiores restaurados com diferentes tipos de materiais

Resumo

Avaliar a influência da largura do istmo oclusal de inlays na distribuição de tensões e resistência a fratura de pré-molares superiores restaurados com diferentes tipos de materiais. MATERIAL E MÉTODO: Serão selecionados 63 pré-molares superiores humanos hígidos, separados em 9 grupos (n=7): G1-dente hígido; G2-inlay conservador sem material restaurador; G3-inlay extenso sem material restaurador; G4-inlay conservador+resina indireta Signum Ceramis (Heraeus); G5-inlay conservador+cerâmica e.max Press (Ivoclar Vivadent)+jateamento com silica; G6-inlay conservador+cerâmica e.max Press+ ácido fluorídrico 10%; G7-inlay extensa+resina composta Signum Ceramis; G8-inlay extensa+cerâmica e.max Press+jateamento com silica e G9-inlay extensa+cerâmica e.max Press+ácido fluorídrico 10%. Para reproduzir a movimentação do dente no alvéolo, será empregado material elastomérico à base de poliéter, Impregum Soft MV (3M-ESPE). Os preparos das inlays serão padronizados por um dispositivo pantográfico, serão moldados e os modelos serão confeccionados em laboratório para a confecção das restaurações indiretas. As restaurações serão cimentadas utilizando cimento resinoso dual, Variolink II (Ivoclair Vivadent), e armazenadas em água destilada a 37° C por 24 horas. Decorrido o prazo de armazenagem, cada corpo de prova será submetido à máquina de ensaio universal (EMIC, DL200MF). Para a análise de elemento finito (FEA), serão obtidos modelos 3D de estruturas anatômicas. Após, será feito a modelagem dos materiais de trabalho e geração de malhas de (FEA). Os resultados dos testes de fratura com o tipo e local da concentração das tensões serão possível proceder futuras inferências onde a distribuição dos esforços será a hipótese as ser testada. (AU)