Busca avançada
Ano de início
Entree

Adipocitocinas em indivíduos com a forma indeterminada da Doença de Chagas e dislipidemia

Processo: 10/51949-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2011 - 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Paulo Câmara Marques Pereira
Beneficiário:Paulo Câmara Marques Pereira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Fator de necrose tumoral alfa  Leptina  Interferon gama  Dislipidemias 

Resumo

O Trypanossoma cruzi é um protozoário intracelular que causa a doença de Chagas. Estima-se que ainda existam entre 12 e 14 milhões de pessoas infectadas na América Latina, com mais de 60 milhões de pessoas em área de risco de transmissão, em cerca de 18 países endêmicos. A doença tem duas fases sucessivas: aguda e crônica. A fase aguda geralmente é assintomática ou pode manifestar-se como uma doença febril auto limitada já a fase crônica pode ser assintomática (forma indeterminada) ou envolver manifestações clínicas no coração (forma cardíaca), esôfago e/ou cólon (forma digestiva) ou ocorrência simultânea das formas cardíaca e digestiva (forma mista). Estudos recentes têm relacionado à evolução da doença de Chagas com tecido adiposo e síndrome metabólica (MetS), sendo esta caracterizada pela dislipidemia, hipertensão, diabetes mellitus (DM) e obesidade. As citocinas inflamatórias são produzidas em excesso pelo tecido adiposo na presença de obesidade, podendo ter correlação entre obesidade e inflamação crônica. A observação de que pacientes chagásicos em geral e cardiopatas graves apresentam uma propensão para a produção de citocinas inflamatórias como o INF-g e o TNF-a pode fornecer um substrato fisiopatológico para a fibrose e disfunção cardíaca da cardiopatia chagásica crônica. O objetivo deste estudo é verificar a relação entre níveis séricos das citocinas inflamatórias (INF-g, TNF-a), NO e adipocitocinas (leptina e adiponectina) em indivíduos com doença de Chagas e dislipidemia atendidos no Ambulatório de Nutrição em Doenças Tropicais (FMB/UNESP) e correlacionar estes dados com o perfil glicêmico, lipídico e antropométrico dos mesmos. Este estudo original será realizado no Departamento de Doenças Tropicais na Faculdade de Medicina de Botucatu e contribuirá com informações clínicas - nutricionais e imunológicas, que serão extremamente úteis no atendimento, acompanhamento e prevenção de doença cardiovascular em indivíduos com doença de Chagas. (AU)