Busca avançada
Ano de início
Entree

Validação dos fatores de risco para as infecções hospitalares em sítio cirúrgico e avaliação das infecções hospitalares em outras topografias em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca na Santa Casa de Marília: análise de cinco anos

Processo: 10/19628-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2011 - 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Lucieni de Oliveira Conterno
Beneficiário:Lucieni de Oliveira Conterno
Instituição-sede: Santa Casa de Misericórdia de Marília. Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Marília (ISCMM). Marília , SP, Brasil
Assunto(s):Procedimentos cirúrgicos cardiovasculares  Infecção hospitalar  Fatores de risco 

Resumo

Pacientes submetidos à cirurgia cardíaca são particularmente susceptíveis a várias infecções hospitalares, sendo a infecçÃo do sítio cirúrgico (ISC) a mais importante pelo impacto em termos de morbidade e mortalidade. Apesar da incidência de mediastinite ser relativamente pequena, variando de 0,4 a 5%, a mortalidade associada é alta, variando de 14 a 47%, acarretando aumento considerável no tempo de internação, dos custos hospitalares e grande sofrimento humano. Vários fatores de riscos têm sido identificados como predisponentes para a ocorrência de mediastinite, entre eles, índice de massa corpórea, diabetes, DPOC, tempo de circulação extra-corpórea, glicemia. Na tentativa de se identificar quais dentre as diversas variáveis podem predizer de forma mais acurada a ocorrência de infecções do sítio cirúrgico, vários modelos preditivos tem sido propostos, com acurácia variável. Por outro lado, apesar de ser a ISC a mais temida, vários estudos têm chamado a atenção para as outras infecções hospitalares as que estão expostos estes pacientes. Dados da literatura sugerem que cerca de 27% destes pacientes podem desenvolver outras infecções hospitalares além da ISC, como pneumonia, infecção urinária ou sepse primária, que também tem impacto na evolução dos casos, contribuindo para aumentar o tempo de internação ou muitas vezes a mortalidade. Objetivo: avaliar os fatores de risco associados com o desenvolvimento de ISC nos pacientes submetidos à cirurgia cardíaca na Santa Casa de Marilia nos últimos 5 anos; testar a validade dos modelos preditivos da Sociedade Americana de Cirurgiões de tórax e o modelo brasileiro descrito por Magedanz, na população deste estudo; avaliar a ocorrência das IHs não-cirurgica nos pacientes submetidos a cirurgia cardíaca, e o impacto na mortalidade no tempo de permanência hospitalar. Método:. Será realizado um estudo de coorte retrospectiva. Os pacientes serão identificados a partir das fichas de busca ativa e notificação de IH realizadas pelo SCHI nestes 5 últimos anos. Informações complementares serão obtidas dos prontuários médico e do laboratório. Serão comparados os diversos fatores de risco entre os pacientes com IH do sítio cirúrgico e das diversas topografia com aqueles pacientes sem as IHs. As variáveis identificadas serão testadas nos modelos preditivos existentes. (AU)