Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação da coagulação e da filtração lenta na redução de oocistos de Cryptosporidium spp. por simulação com microesferas de poliestireno

Processo: 10/16223-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2011 - 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Engenharia Agrícola - Engenharia de Água e Solo
Pesquisador responsável:José Euclides Stipp Paterniani
Beneficiário:José Euclides Stipp Paterniani
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Agrícola (FEAGRI). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Tratamento de água  Qualidade da água  Saneamento rural  Filtração 

Resumo

Um protozoário com grande grau de periculosidade e muito frequente nos maiores surtos já existentes mundialmente é o Cryptosporidium spp., e uma vez seus oocistos presentes em águas de consumo humano podem causar danos à saúde humana e animal. Como a cloração não garante inativação completa desses organismos é necessário que as estações de tratamento de água tenham sistemas de tratamento eficazes, principalmente durante a coagulação e a filtração. Desta forma, esses organismos podem ser retidos no decorrer dessas etapas de tratamento e com isso viabilizando água de melhor qualidade para consumo. Além disso, é preciso buscar alternativas economicamente viáveis voltadas às populações que não possuem infra-estrutura em saneamento, para que possa atender os principais parâmetros básicos de qualidade de água. Alternativas como os sistemas de Filtração, podem ser alternativas viáveis economicamente por obter materiais de fácil acesso. Também como agente coagulante é possível utilizar coagulantes naturais capazes de remover material particulado em suspensão e reduzir o número de muitos organismos presentes em água. Um coagulante natural empregado no tratamento de água em pequenas comunidades é a semente proveniente da árvore de Moringa oleifera. Alguns estudos tem mostrado que a utilização de substitutos de oocistos de Cryptosporidium para avaliar a efetividade de tratamentos tem sido empregados como alternativo para evitar a utilização do protozoário em pesquisas, e desta forma muitas vantagens são observadas como o custo, já que as análises para esses organismos são possuem custos elevados e a diminuição do risco de contaminação por esses oocistos. Entre esses substitutos, as microesferas de poliestireno tem se mostrado uma opção favorável por obter algumas características similares a do oocisto. Tendo em vista a importância da eliminação desses protozoários em águas de abastecimento, este trabalho terá como objetivo empregar um sistema de Filtração e o coagulante natural proveniente da semente de Moringa oleifera para a remoção de microesferas de poliestireno. Com isso é esperado que com a coagulação e o sistema de filtração, as microesferas fiquem retidas nesses processos de tratamento, e desta forma possibilita considerar para os oocitos de Cryptosporidium. Assim, podendo tornar uma alternativa viável do ponto técnico e econômico de tratamento de água voltado principalmente para atender populações que não possuem tratamentos convencionais. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CAMILA C. ARANTES; TÚLIO A. P. RIBEIRO; JOSÉ E. S. PATERNIANI; MARINA S. S. TATEOKA; GABRIELA K. E SILVA. Uso de coagulantes naturais à base de moringa oleifera e tanino como auxiliares da filtração em geotêxtil sintético não tecido. Engenharia Agrícola, v. 34, n. 4, p. 780-788, Ago. 2014.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.