Busca avançada
Ano de início
Entree

Alterações no metabolismo energético e no desempenho de bezerros em aleitamento intensivo ou convencional

Processo: 10/16175-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2011 - 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Nutrição e Alimentação Animal
Pesquisador responsável:Carla Maris Machado Bittar
Beneficiário:Carla Maris Machado Bittar
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Pesq. associados:Flávio Augusto Portela Santos ; Gerson Barreto Mourão ; Roberto Sartori Filho
Assunto(s):Aleitamento animal  Metabolismo energético  Ruminantes  Bezerros 

Resumo

O objetivo deste projeto é avaliar o efeito de diferentes sistemas de aleitamento, convencional ou intensivo, sobre o desempenho e alterações no metabolismo energético de bezerros leiteiros. Serão utilizados 30 bezerros recém-nascidos, em delineamento completamente aleatorizado. Após o período de colostragem, os animais serão alojados em abrigos individuais, com livre acesso à água, e receberão concentrado inicial comercial e dieta líquida conforme os três sistemas de aleitamento: 1) Convencional: 10% do PV (aproximadamente 4 L/dia); 2) Intensivo: 20% do PV (aproximadamente 8 L/dia); 3) Programado: semana 1: 10% do PV; semana 2 a semana 6: 20% do PV; e semana 7 e 8: 10% do PV. O desaleitamento dos animais será realizado de forma abrupta na 8ª. semana de vida. A partir do desaleitamento será fornecido feno de capim coast-cross à vontade, sendo o consumo semanal monitorado. Os animais serão pesados ao nascer e semanalmente até 10 semanas de vida, assim como serão tomadas medidas corporais de crescimento. O escore fecal será avaliado diariamente. Biopsias hepáticas serão realizadas nas semanas 2, 4, 8 e 10 de vida para determinação da atividade das enzimas piruvato carboxilase e fosfoenolpiruvato carboxiquinase. Semanalmente, a partir da 2ª semana de vida serão realizadas colheitas de sangue 2 horas após a alimentação da manhã para determinação de glicose, lactato, b-hidroxibutirato e N-uréico no plasma. Também a partir da 2ª. semana de vida, duas horas após a alimentação da manhã, serão realizadas colheitas de fluído ruminal, com o auxílio de sonda e bomba de vácuo para determinação de pH, ácidos graxos de cadeia curta e N-amoniacal. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE PAULA, M. R.; OLTRAMARI, C. E.; SILVA, J. T.; GALLO, M. P. C.; MOURAO, G. B.; BITTAR, C. M. M. Intensive liquid feeding of dairy calves with a medium crude protein milk replacer: Effects on performance, rumen, and blood parameters. JOURNAL OF DAIRY SCIENCE, v. 100, n. 6, p. 4448-4456, JUN 2017. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.