Busca avançada
Ano de início
Entree

Micropartículas de goma do cajueiro e óleos essenciais de Cordia verbenacea d. c. e Achyrocline satureioides (LAM.) d. c.: avaliação anti-inflamatória e desenvolvimento analítico para quantificação de ±-humuleno, ±-pineno e (-)-trans-cariofileno

Resumo

Já há muitos anos é grande a importância dos produtos naturais na nossa sociedade. Óleos essenciais são um desses produtos, sendo substâncias voláteis extraídas de plantas, constituindo matérias-primas para as indústrias cosmética, farmacêutica e alimentícia. Os óleos essenciais são geralmente obtidos por arraste a vapor. Os óleos de Cordia verbenacea e Achyrocline satureioides apresentam majoritariamente o ±-pineno e o trans-cariofileno, sendo óleos com valor terapêutico agregado. Ambos apresentam o ±-humuleno em sua constituição, sendo no caso da C. verbenacea comprovadamente o responsável pela ação anti-inflamatória inferida ao seu óleo. Estes óleos podem sofrer reações de oxidação, redução, rearranjos ou outras reações químicas de decomposição e sua alta volatilidade facilita a perda dos monoterpenos durante a estocagem ou manuseio. Desta forma, esta proteção é fundamental para manutenção da ação terapêutica original. Esta proteção pode ser obtida através da formação de micropartículas, cuja produção envolve o uso de polímeros que permitam minimizar as reações deteriorativas. Para este projeto idealizou-se o uso da goma do Cajueiro, por representar uma matéria-prima abundante no país e pela viabilidade de poder substituir a goma Arábica, tradicionalmente empregada. Para analisar os constituintes dos óleos nas micropartículas será realizada a liberação do complexo polímérico, o que poderá ser feito em água uma vez que a goma é hidrossolúvel, e utilizando-se a Cromatografia Gasosa com detector de ionização em chamas (CG/DIC), via headspace em frasco lacrado, cujo método deverá ser validado. Será avaliada também, a estabilidade do material original e deste após microparticulação, mantendo-os em câmera climática com temperatura e umidade controladas, paralelamente com monitoramento da atividade anti-inflamatória durante o decorrer do tempo. Espera-se com a microparticulação a diminuição da deterioração dos constituintes do óleo expostos aos agentes externos citados e o prolongamento da ação biológica das micropartículas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)