Busca avançada
Ano de início
Entree

Busca de novos antígenos para o diagnóstico da leishmaniose visceral canina: caracterização das proteínas TR Lc06, Lc22, Lc24 e Lc36

Processo: 10/16732-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2011 - 30 de abril de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Marcia Aparecida Silva Graminha
Beneficiário:Marcia Aparecida Silva Graminha
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Leishmaniose visceral animal  Cães  Diagnóstico clínico  Sorologia  Antígenos 

Resumo

O controle da Leishmaniose Visceral Canina (LVC) e, consequentemente, da LV humana, depende da pronta identificação de cães infectados. Programas de controle da LV no Brasil têm como base o controle de reservatórios urbanos, com a identificação e eliminação em massa de cães soropositivos, uma vez que ainda não há tratamento comprovado para se obter a cura parasitológica permanente dos cães, mesmo quando se usa medicamentos de uso humano como os antimoniais pentavalentes. Identificar corretamente os cães infectados depende de um método diagnóstico eficiente com alta sensibilidade e especificidade. A sorologia no diagnóstico da leishmaniose visceral canina (LVC) apresenta problemas em relação à sensibilidade e especificidade nos testes atualmente disponíveis, os quais apresentam resultados variáveis de acordo com as diferentes regiões estudadas, comprometendo o controle da doença em cães e, consequentemente, a interrupção da transmissão desta importante parasitose ao homem. É importante ressaltar a necessidade de pesquisa de novos componentes antigênicos purificados que possam ser utilizados como ferramenta para obtenção de um diagnóstico alternativo, assegurando maior sensibilidade e especificidade aos testes. Vários antígenos foram identificados e testados (rGBP, rORFF, rK9/ rk26 e rK39). Destes, o antígeno rK39 mostrou-se o mais sensível no diagnóstico da LV humana. No entanto, testes rápidos utilizando esta proteína recombinante como antígeno, mostraram-se mais adequados para o diagnóstico de casos de LVC sintomáticos, apresentando pouca sensibilidade em cães assintomáticos. Não detectar cães infectados assintomáticos dificulta o controle desta parasitose. Dessa maneira, faz-se necessário buscar novos antígenos purificados que possam ser utilizados como ferramenta alternativa para detecção, inclusive da população canina assintomática.Identificamos proteínas TR exclusivas da espécie L. infantum causadora da LV. Estes genes podem estar relacionados a diferenças na apresentação da doença, resposta imune e patogenicidade, quando comparadas às demais espécies causadoras das leishmanioses: cutânea e mucocutâneas (L. major e L. braziliensis). Estes genes exclusivos de L. infantum, e ausentes no genoma de outros tripanosomatídeos, podem codificar proteínas com potencial aplicação no desenvolvimento de novos testes diagnósticos, minimizando problemas com reação cruzada apresentada pelo soro de animais infectados com os demais parasitos desta família. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PASSALACQUA, THAIS GABAN; DUTRA, LUIZ ANTONIO; DE ALMEIDA, LETICIA; ARENAS VELASQUEZ, ANGELA MARIA; ESTEVES TORRES, FABIO AURELIO; YAMASAKI, PAULO RENATO; DOS SANTOS, MARIANA BASTOS; REGASINI, LUIS OCTAVIO; MICHELS, PAUL A. M.; BOLZANI, VANDERLAN DA SILVA; GRAMINHA, MARCIA A. S. Synthesis and evaluation of novel prenylated chalcone derivatives as anti-leishmanial and anti-trypanosomal compounds. Bioorganic & Medicinal Chemistry Letters, v. 25, n. 16, p. 3342-3345, AUG 15 2015. Citações Web of Science: 30.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.