Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do biofilme formado in situ, da microbiota bucal e da desmineralização do esmalte dental após utilização de leite fermentado contendo probiótico

Processo: 10/18164-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2011 - 31 de março de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontopediatria
Pesquisador responsável:Alberto Carlos Botazzo Delbem
Beneficiário:Alberto Carlos Botazzo Delbem
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Pesq. associados:Carolina Simonetti Lodi ; Cleide Cristina Rodrigues Martinhon ; Fernanda Lourenção Brighenti
Assunto(s):Cárie dentária  Desmineralização do dente  Leite fermentado  Probióticos 

Resumo

Um número crescente de produtos contendo probióticos, como os leites fermentados, está disponível no mercado e sendo utilizado pelos consumidores. Diante dessa realidade, objetiva-se investigar a cariogenicidade do leite fermentado desnatado adoçado contendo probióticos através da quantificação dos açúcares totais e redutores presente no produto, análise do seu efeito na desmineralização do esmalte dental bovino, análise microbiológica da saliva antes e após o período experimental, análise microbiológica e quantificação dos carboidratos álcali-solúveis no biofilme formado in situ, bem como a avaliação microbiológica da saliva após o consumo do leite fermentado desnatado adoçado contendo probiótico. Serão selecionadas duas marcas de leite fermentado desnatado adoçado para a realização do estudo in situ e as mesmas serão utilizadas para o estudo in vivo. Para realização do estudo in situ blocos de esmalte bovino serão obtidos, selecionados através de sua microdureza superficial (SMH) e fixados em dispositivos acrílicos palatinos de dez voluntários (quatro blocos por voluntário). O experimento in situ consistirá de três etapas de 14 dias cada, separadas por um intervalo de 7 dias entre elas e o experimento in vivo será realizado em 2 etapas de 14 dias cada separadas por um intervalo de 7 dias entre elas. No experimento in situ, os voluntários gotejarão uma solução de sacarose 20% ou a solução de tratamento (leite fermentado desnatado adoçado marca A; leite fermentado desnatado adoçado marca B) 8X/dia e no experimento in vivo os voluntários irão ingerir 1 frascos do leite fermentado/dia. Decorrido o período experimental in situ, o biofilme será analisado quanto a quantidade de microrganismos totais, Streptococcus totais e Streptococcus do grupo mutans, Lactobacillus e carboidratos álcali-solúveis. No estudo in vivo será realizado uma coleta de saliva inicial e após 14 dias para avaliar a contagem de microrganismos totais, Streptococcus totais, Streptococcus do grupo mutans e Lactobacillus. Nos blocos de esmalte, serão realizadas as análises de microdureza superficial (SMH), para o cálculo da porcentagem de variação de microdureza superficial (%SMHC) e em secção longitudinal, sendo transformado em perda mineral (Z). (AU)