Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de extratos de buriti (Mauritia vinifera) e copaíba (Copaifera langsdorffii) no tratamento radioterápico e quimioterápico de carcinoma espinocelular induzido em ratos

Resumo

A radioterapia tem sido amplamente utilizada no tratamento das lesões malignas da cabeça e pescoço, com melhora da sobrevida dos pacientes. Entretanto, esta forma de terapêutica ainda está associada a diversas reações adversas, que afetam de forma significativa a qualidade de vida dos pacientes, podendo diminuir a adesão destes ao tratamento. O objetivo desse estudo será avaliar o efeito dos tratamentos radioterápico, quimioterápico e com extratos de duas plantas, de forma isolada ou em associação, sobre o carcinoma espinocelular em ratos, através de análise morfológica, tomográfica, western blot e qRT-PCR. Para tanto, serão utilizados 320 ratos divididos aleatoriamente em seis grandes grupos com subdivisões, totalizando 40 grupos de 8 animais cada. Todos os animais receberão a inoculação de uma linhagem celular de carcinoma espinocelular na região de vibrissas, do lado direito. Serão considerados os seguintes grupos: G1 - controle (grupo sham); G2 - irradiação como tratamento (raios X 15 Gy divididos em doses semanais cumulativas de 3 Gy, 6 Gy, 9 Gy, 12 Gy e 15 Gy); G3 - receberão os extratos, sendo este grupo dividido em dois subgrupos: "copaíba" (Copaifera langsdorffii) e "buriti" (Mauritia vinífera), nas doses de 0,2 g/kg/vo/dia e 0,4 g/kg/vo/dia; G4 - receberão os extratos nas doses indicadas em associação com a irradiação nas doses já descritas; G5 - receberão o quimioterápico capecitabina (Xeloda®, Roche, Brasil) nas dose de 360 e 180 mg/kg/vo/dia; G6 - receberão o quimioterápico em associação com os extratos nas doses já descritas. Todos os tratamentos serão iniciados 10 dias após o procedimento de inoculação das células tumorais e serão mantidos por 15 dias. Decorridos 25 dias da inoculação das células, os animais serão submetidos à microtomografia computadorizada e, logo a seguir, serão eutanaziados em câmara de CO2. A cabeça será removida na vertebra C1 e cuidadosamente divididas ao meio, serão pesadas e a massa tumoral será delimitada e removida juntamente com o osso maxilar e estruturas anexas. As peças serão divididas em partes para os diferentes ensaios. Duas partes serão fixadas por solução de formol tamponado, tanto para a análise histológica (ensaio 1), quanto para a imunohistoquimica das proteínas p53, bcl2 e ki67 (ensaio 2); em nitrogênio líquido a -80ºC para western blot (ensaio 3) para avaliação das mesmas proteínas do ensaio 2; e em tubos de 1,5 mL tipo eppendorf contendo RNA laterTM (RNA Stabilization Reagent - Qiagen) por 4 horas para o qRT-PCR (ensaio 4). Após esse período, os fragmentos serão transferidos para um novo tubo e imediatamente armazenados a -80ºC até o processamento para o ensaio 4. Os resultados serão descritos qualitativamente (avaliação histológica) e quantitativamente (demais análises), sendo avaliados pelo teste de Kruskal-Wallis (nível de significância de 5%). (AU)