Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão de genes relacionados à fisiologia do hormônio liberador de gonadotrofinas (GnRH) em modelo experimental de ratas com síndrome dos ovários policísticos (SOP) induzido por exposição a androgênios

Processo: 10/17417-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2011 - 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Gustavo Arantes Rosa Maciel
Beneficiário:Gustavo Arantes Rosa Maciel
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Pesq. associados:Edmund Chada Baracat ; Kátia Cândido Carvalho ; Manuel de Jesus Simões ; Rafael Malagoli Rocha
Assunto(s):Clínica médica  Ginecologia  Síndrome do ovário policístico 

Resumo

A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é um distúrbio endócrino de etiologia desconhecida, caracterizada por anovulação crônica e hiperandrogenismo. Parte das pacientes com SOP apresenta disfunção na produção de gonadotrofinas, com maior liberação de hormônio luteinizante (LH). Esse padrão é coordenado pelos pulsos de GnRH e propicia aumento da síntese de androgênios pelas células da teca ovariana. Embora a gênese do aumento da liberação de LH não seja conhecida, acredita-se que o excesso de androgênios gera alteração na função normal do eixo hipotálamo-hipófise-gonadal (HPG). Em ratas, o excesso de androgênios na vida neonatal induz alterações da morfologia ovariana e metabólicas similares às observadas na SOP em humanos. Não se sabe, porém, o papel do GnRH nessas situações. O objetivo principal deste estudo é analisar a expressão dos genes relacionados função do GnRH (GnRH, GnRHR, KiSS-1, GPR54 e AR) no hipotálamo. Para isso, primeiramente serão utilizadas 25 ratas em um estudo piloto, divididas em cinco grupos de 5 animais para a definição da dosagem mais apropriada de diidrotestosterona (DHT). A partir da definição da dosagem de DHT, será administrado seguinte protocolo: injeção por via subcutânea entre 0 e 3 dias de vida, em uma única dose, dos seguintes compostos: propionato de diidrotestosterona (dosagem a ser definida no estudo piloto), propionato de testosterona (1 mg) e, como controle do experimento, propilenoglicol (1 mg,). Com 120 dias de idade, os animais serão sacrificados e serão retirados o hipotálamo, os ovários e sangue. O hipotálamo será utilizado para avaliação da expressão de genes relacionados à fisiologia do GnRH (GnRH, GnRHR, KiSS-1, GPR54 e AR) e os ovários serão utilizados para análise de genes relacionados a via da esteroidogênese (CYP17 e LHR), ambos por PCR quantitativo em Tempo Real. Os ovários também serão analisados morfológica e morfometricamente após coloração com hematoxilina e eosina (H.E.) e o sangue servirá para a dosagem dos hormônios LH, FSH, estradiol, progesterona e testosterona. A análise estatística será realizada utilizando a análise de variância (ANOVA), complementada pelo teste de comparações múltiplas de Tukey-Kramer. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Biomarcador de doença hepática gordurosa não alcoólica é identificado 
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.