Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade genética para caracteres químicos, agronômicos, morfológicos e moleculares em acessos de mandioca (Manihot esculenta Crantz) provenientes de diferentes regiões do Brasil

Processo: 10/20484-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2011 - 30 de abril de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Vegetal
Pesquisador responsável:Elizabeth Ann Veasey
Beneficiário:Elizabeth Ann Veasey
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Pesq. associados: Cássia Regina Limonta Carvalho ; José Carlos Feltran ; Paulo Roberto Nogueira Carvalho ; Teresa Losada Valle
Bolsa(s) vinculada(s):11/19983-9 - Caracterização química dè genótipos dè mandioca originados dè diferentes regiões dò Brasil, BP.TT
Assunto(s):Diversidade genética  Germoplasma vegetal  Repetições de microssatélites  Banco de dados 

Resumo

O objetivo desse projeto é caracterizar e determinar a diversidade genética existente entre acessos de mandioca originários de diferentes regiões do Brasil, pertencentes aos Bancos de Germoplasma da Escola Superior de Agricultura 'Luiz de Queiroz' (ESALQ/USP) e do Instituto Agronômico de Campinas (IAC). Serão avaliados marcadores morfológicos e moleculares, por meio de microssatélites, dos acessos que compõem o Banco de Germoplasma da ESALQ e também caracteres agronômicos, químicos, morfológicos e moleculares de 83 acessos de mandioca, originados das regiões Amazônica, Centro-Oeste, Sudeste e Sul. Serão avaliadas 12 características morfológicas, quatro caracteres agronômicos e seis características químicas, relativas às análises das raízes. Para as análises moleculares, serão testados 14 locos de microssatélites. Para a avaliação dos caracteres agronômicos e químicos será instalado um experimento com delineamento de blocos casualizados com três repetições. Os dados serão analisados através de análises estatísticas univariadas (teste F, teste de médias) e multivariadas (análise de agrupamentos e de componentes principais). Os genótipos individuais serão agrupados por roças, comunidades e/ou regiões, e serão estimados as freqüências alélicas e genotípicas, e os parâmetros de diversidade genética como número de alelos por loco, porcentagem de locos polimórficos, heterozigosidade média observada e esperada, e índices de diversidade de Nei. Esses parâmetros permitirão caracterizar a diversidade genética entre e dentro de roças, comunidades e regiões geográficas. Será também realizada uma análise a partir de dados binários (presença/ausência de bandas), para a construção de um dendrograma e verificação de possíveis duplicatas. (AU)