Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos centrais de regulação da pressão arterial e da ingestão de água e sódio

Processo: 11/00151-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2011 - 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:José Vanderlei Menani
Beneficiário:José Vanderlei Menani
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia cardiovascular  Equilíbrio hidroeletrolítico  Angiotensina II  Pressão sanguínea  Sódio 

Resumo

O núcleo parabraquial lateral (NPBL) exerce importante ação inibitória na ingestão de água e de sódio. Mecanismos serotonérgicos, colecistocinérgicos e glutamatérgicos e o fator liberador de corticotrofina (CRF) no NPBL atuam levando à inibição da ingestão de água e sódio, enquanto os mecanismos gabaérgicos, opióides e adrenérgicos alfa2 no NPBL têm efeito oposto. Além da ingestão de água e sódio, o NPBL também estaria envolvido com o controle da excreção renal e de respostas cardiovasculares.Resultados recentes de nosso laboratório mostraram que noradrenalina atuando em receptores adrenérgicos alfa2 do NPBL produz um grande aumento da ingestão de NaCl 0,3 M induzida pelo tratamento com o diurético furosemida (FURO) combinado com o inibidor da enzima conversora de angiotensina captopril(CAP)subcutaneamente(sc). Injeções de noradrenalina no NPBL também produzem uma potente resposta pressora. Portanto, uma das propostas do presente projeto é investigar: 1)os subtipos de receptores adrenérgicos do NPBL e os mecanismos periféricos (simpático e/ou vasopressina) envolvidos nas respostas cardiovasculares produzidas por noradrenalina no NPBL; 2) se receptores adrenérgicos alfa1 no NPBL também estariam envolvidos com a ingestão de NaCl 0,3 M e água em animais tratados com FURO+CAP; 3) possíveis modificações na excreção renal produzidas por injeções de noradrenalina no NPBL.Outros resultados recentes de nosso laboratório mostraram que lesões eletrolíticas ou o bloqueio dos neurônios do núcleo central da amígdala (CeA) com o agonista gabaérgico muscimol aboliram o aumento da ingestão de água e de sódio que ocorreu após o bloqueio do mecanismo inibitório do NPBL. Assim, outra proposta do presente projeto é investigar possíveis mecanismos inibitórios (gabaérgicos) ou facilitatórios (angiotensinérgicos e mineralocorticóides) da ingestão de água e sódio no CeA e se esses mecanismos do CeA seriam controlados pelos mecanismos inibitórios do NPBL.Injeções bilaterais do agonista opióide inespecífico beta-endorfina no NPBL também produzem intenso aumento da ingestão de água e NaCl 0,3M. No presente projeto, uma proposta é também se estudar o possível papel de receptores mu opióides do NPBL no controle da ingestão de água e NaCl 0,3M induzida pelo tratamento com FURO+CAP sc, utilizando-se para isso o agonista específico de receptores mu opióide endomorfina sozinho ou combinado com o antagonista específico de receptores mu opióide CTAP.Foi também demonstrado recentemente que a ingestão de NaCl 0,3 M em ratos saciados e normovolêmicos tratados com muscimol no NPBL foi muito reduzida pelo bloqueio colinérgico ou angiotensinérgico com injeções no ventrículo lateral (VL) de atropina ou losartan, respectivamente. A surpreendente e aparentemente paradoxal participação de mecanismos colinérgicos na ingestão de sódio nesta condição, levou a várias questões e uma delas é se o mecanismo colinérgico central seria importante para os aumentos de ingestão de sódio produzidos pela desativação do mecanismo inibitório do NPBL em outros protocolos de ingestão de sódio. Assim, no presente projeto, uma proposta é investigar a participação de mecanismos colinérgicos e angiotensinérgicos centrais no aumento da ingestão de água e NaCl 0,3M produzidos por injeções bilaterais de moxonidina (agonista de receptores adrenérgicos alfa2/imidazólicos) no NPBL em ratos tratados com FURO+CAP sc ou em ratos com sobrecarga intragástrica de NaCl 2M (2 ml/rato).Nesses estudos utilizaremos ratos com cânulas de aço inoxidável implantadas bilateralmente no NPBL (também no CeA ou LV quando estas áreas também forem estudadas) e as injeções centrais, num volume de 0,2 ou 1 ul, serão feitas utilizando-se seringa de Hamilton de 5 ul. Os registros da pressão arterial e frequência cardíaca serão feitos em ratos normotensos, não anestesiados, por meio de canulação da artéria femoral. A medida da ingestão de água e NaCl 0.3M será feita a cada 30 min durante 2 a 4 h após as injeções centrais. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.