Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do treinamento físico em piscina aquecida em pacientes com hipertensão arterial refratária

Processo: 10/15649-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2011 - 31 de março de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Guilherme Veiga Guimarães
Beneficiário:Guilherme Veiga Guimarães
Instituição-sede: Instituto do Coração Professor Euryclides de Jesus Zerbini (INCOR). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Egidio Lima Dórea ; Lais Galvani de Barros Cruz
Assunto(s):Hipertensão  Hidroterapia  Exercício físico 

Resumo

A hipertensão arterial refratária (HAR) é definida como pressão arterial (PA) que permanece acima da meta, apesar do uso de três classes de fármacos anti-hipertensivos em doses otimizadas, incluindo um diurético. A prevalência dessa doença ainda é desconhecida, mas estima - se que cerca de 20 a 50 % da população hipertensa apresente essa refratariedade. A HAR é considerada uma doença comum, porém difícil de ser tratada, por conta das várias alterações sistêmicas que ela causa, como a hiperatividade simpática, disfunção endotelial, lesões de órgãos alvo, disfunções renais e alterações no sistema renina angiotensina aldosterona (SRAA). Por causa de todas essas alterações sistêmicas, a atividade física é um recurso importante no tratamento da HAR, porém ainda pouco estudado para esse tipo específico de hipertensão. Hipotetizamos que a atividade física realizada em piscina aquecida pode ser uma nova abordagem no tratamento de HAR, pois a imersão em água aquecida provoca alterações hemodinâmicas benéficas para os portadores de hipertensão. Objetivos: Avaliar o comportamento da função endotelial, concentração plasmática de catecolaminas, endotelina-1, óxido nítrico (NO), vasopressina ou hormônio antidiurético (ADH), aldosterona e atividade plasmática de renina, além do comportamento da PA em 24 horas de pacientes com o diagnóstico de HAR, antes e depois de submetidos a um programa de atividade física em piscina aquecida. Metodologia: Serão estudados 28 pacientes entre 40 e 70 anos com o diagnostico de HAR, os quais realizarão teste de esforço máximo, avaliação da função endotelial, monitorização da pressão arterial, análise sanguínea da concentração de, endotelina-1, catecolaminas, óxido nítrico (NO), vasopressina (ADH), aldosterona e atividade plasmática de renina. Os pacientes serão randomizados e divididos em dois grupos, um será submetido a um programa supervisionado de treinamento físico em piscina aquecida por três meses, e o outro grupo servirá de controle. Ao final de três meses de tratamento ambos os grupos serão reavaliados. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Treinamento em piscina aquecida ajuda a controlar hipertensão resistente 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GUIMARAES, GUILHERME VEIGA; FERNANDES-SILVA, MIGUEL MORITA; DRAGER, LUCIANO FERREIRA; DE BARROS CRUZ, LAIS GALVANI; CASTRO, RAFAEL ERTNER; CIOLAC, EMMANUEL GOMES; BOCCHI, EDIMAR ALCIDES. Hypotensive Effect of Heated Water-Based Exercise Persists After 12-Week Cessation of Training in Patients With Resistant Hypertension. CANADIAN JOURNAL OF CARDIOLOGY, v. 34, n. 12, p. 1641-1647, DEC 2018. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.