Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do DNA mitocondrial nos tumores penianos

Processo: 11/00503-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2011 - 31 de março de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Rodolfo Borges dos Reis
Beneficiário:Rodolfo Borges dos Reis
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados: Gyl Eanes Barros Silva ; Wilson Araújo da Silva Junior
Assunto(s):Procedimentos cirúrgicos urológicos  Neoplasias penianas  DNA mitocondrial 

Resumo

Nos países desenvolvidos as neoplasias penianas representam menos de 1% dos cânceres nos homens. Já nos países em desenvolvimento, o carcinoma peniano corresponde a aproximadamente 10 a 20% de todas as lesões malignas. Os tumores de pênis, embora raros, estão associados a alta morbidade decorrente da própria doença e/ou de seu tratamento. Estudos multicêntricos têm sido realizados na tentativa de identificar as principais variáveis de prognóstico desta doença. Entretanto, ainda não foram encontrados marcadores moleculares capazes de predizer adequadamente o comportamento dos tumores penianos. Agentes infecciosos, incluindo infecção pelo papiloma vírus humano (HPV), não só se relacionam com a gênese do câncer peniano como também com a sua agressividade. Estudos em tumores ginecológicos indicaram haver alterações do DNA mitocondrial (mtDNA) no tecido tumoral, além de sugerir que o background genético mitocondrial teria influência no risco de desenvolvimento desses tumores e na susceptibilidade à infecção pelo HPV. Concomitantemente, mutações do mtDNA têm sido associadas a vários tipos de neoplasias. É possível, portanto, que o genótipo mitocondrial seja um dos fatores de susceptibilidade ao câncer peniano. Assim, avaliaremos o quadro clínico e os achados anatomopatológicos de 175 pacientes com tumor peniano, verificando fatores relacionados ao prognóstico. Investigaremos a ocorrência de alterações do mtDNA nos tumores penianos, mais especificamente a presença de polimorfismos na região do D-loop, mutações somáticas e o número de cópias do mtDNA. Os resultados deste projeto deverão elucidar o papel da mitocôndria e do mtDNA no desenvolvimento do câncer de pênis; propiciar o desenvolvimento de novos marcadores moleculares para a detecção precoce e determinação do prognóstico do tumor de pênis; auxiliar a adequação das estratégias terapêuticas. (AU)