Busca avançada
Ano de início
Entree

Riachos da maior reserva de Mata Atlântica em área urbana: conhecer para conservar

Processo: 10/20504-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2011 - 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Recursos Hídricos
Pesquisador responsável:Ana Lúcia Brandimarte
Beneficiário:Ana Lúcia Brandimarte
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):11/17803-3 - Análises físicas e químicas como instrumento para a determinação da qualidade da água, BP.TT
Assunto(s):Abastecimento de água  Qualidade da água  Monitoramento ambiental  Indicadores biológicos 

Resumo

O Parque Estadual da Cantareira é uma das maiores áreas protegidas localizadas em perímetro urbano do mundo, com aproximadamente 8.000 hectares de Mata Atlântica. Trata-se de uma importante área de manancial para uma parte expressiva da população da Região Metropolitana de São Paulo. Apesar de sua relevância no que tange à disponibilização de água e conservação da biota aquática, pouco se conhece sobre a qualidade da água dos inúmeros corpos d'água lóticos presentes em seu interior. Além disso, tais ambientes estão sujeitos às pressões antropogênicas decorrentes da urbanização do entorno do parque. Como estão em uma Unidade de Conservação de Proteção Integral, estão enquadrados na classe especial (Resolução CONAMA 357), destinando-se à preservação dos ambientes aquáticos, devendo ser mantidas suas condições naturais ou propiciando seu retorno a tais condições no caso de terem sido alteradas. Neste contexto, este projeto de pesquisa objetiva avaliar a qualidade da água de ambientes lóticos do parque, a fim de estabelecer a condição referência para a área. Para isso a qualidade da água será avaliada de forma sistêmica através da realização de análises: a) do meio físico (topografia e vegetação) por meio de imagens de satélite; b) do habitat aquático através da utilização de protocolo de avaliação rápida; c) de variáveis físicas, químicas e biológicas da água e d) da comunidade de invertebrados bentônicos como indicadora da qualidade da água. Os resultados serão analisados de modo integrado de forma que, ao final do projeto, se conheça a condição referência no que diz respeito aos ambientes lóticos, uma informação essencial para o manejo do Parque Estadual da Cantareira, dada sua importância como área de conservação e de abastecimento de água. (AU)