Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação quantitativa em pacientes parkinsonianos submetidos a estimulação cerebral profunda: avaliação dos efeitos sobre os sintomas sensitivos

Processo: 10/19392-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2011 - 30 de abril de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Daniel Ciampi Araujo de Andrade
Beneficiário:Daniel Ciampi Araujo de Andrade
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Egberto Reis Barbosa ; Manoel Jacobsen Teixeira ; Ricardo Galhardoni
Bolsa(s) vinculada(s):11/11464-2 - Avaliação quantitativa em pacientes parkinsonianos submetidos a estimulação cerebral profunda: avaliação dos efeitos sobre os sintomas sensitivos, BP.TT
Assunto(s):Neurologia  Doença de Parkinson  Dor 

Resumo

Doença de Parkinson Idiopática (DPI) é causada por degeneração progressiva de diferentes grupamentos neuronais, e em particular os neurônios dopaminérgicos, acometendo de forma progressiva todo o sistema nervoso central e principalmente o tronco encefálico. A manifestação clínica pode ser tanto motora (bradicinesia, rigidez muscular, tremor de repouso, discinesia) quanto não motora (alterações do humor, da sensibilidade olfatória, voz e dolorosa). O diagnóstico é clínico e não há tratamento curativo que mude a evolução natural da doença, porém, pode ser controlada por meio de tratamento medicamentoso adequado ou através de técnicas de neuromodulação. Em particular, a estimulação encefálica profunda tem sido utilizada com grande eficácia no controle dos sintomas motores da doença. No entanto, seus efeitos sobre os sintomas não motores permanece ainda desconhecido. Objetivo: Avaliar prospectiva e quantitativamente os efeitos da estimulação encefálica profunda sobre a sensibilidade em pacientes com doença de Parkinson idiopática (DPI). Avaliar a sensibilidade e a especificidade da análise do movimento em relação ao método clássico de escore motor (UPDRS), e sintomas não-motores (sensibilidade e dor) em presença (on) e ausência (off) do efeito do medicamento. Metodologia e Casuística: O estudo contará com a participação de 25 doentes com diagnóstico de doença de parkinson Idiopática (DPI). Duas sessões experimentais serão realizadas antes do procedimento cirúrgico e a seis meses após a cirurgia. Na primeira avaliação , o doente será avaliado clinicamente, em estado "OFF" (ausência de medicação para controle de parkinson por 12 horas) e será submetido a uma bateria de testes quantitativos da sensibilidade. As avaliações pós operatórias serão realizadas após a parada da medicação por 12 horas (OFF medicamentoso) e com o estimulador ligado. (AU)