Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel da proteína morfogenética óssea 2 (BMP-2) e das derivativas de matriz de esmalte (EMD) na diferenciação osteogênica e dentinogênica

Processo: 10/19743-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2011 - 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Bruno das Neves Cavalcanti
Beneficiário:Bruno das Neves Cavalcanti
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Pesq. associados:Márcia Sampaio Campos
Assunto(s):Células-tronco  Osteoblastos  Proteínas morfogenéticas ósseas  Proteínas do esmalte dentário  Reação em cadeia por polimerase (PCR) 

Resumo

O uso de proteínas da matriz extracelular tem sido visto como uma alternativa para auxiliar o reparo de tecidos, particularmente os tecidos mineralizados. Além disso, por sua ação ser ainda pouco conhecida, muitos estudos são necessários para se clarificar os mecanismos intracelulares envolvidos no processo de reparação, bem como no uso destes processos com vistas à engenharia tecidual. Nesse aspecto, pouco se sabe em relação às vias de sinalização ativadas durante os processos de diferenciação celular, bem como os fatores de transcrição envolvidos. O objetivo deste trabalho será observar os efeitos de BMP-2 e EMD sobre células de origem pulpar (fibroblastos e células tronco pulpares) e células de origem óssea (osteoblastos), no que diz respeito à ativação de vias de sinalização, receptores de BMP envolvidos e fatores de transcrição ativados, mais especificamente Dlx3, Dlx5, Msx2 e Runx2. Os processos de diferenciação e mineralização serão confirmados por reações de PCR (Osteocalcina - OCN, Osteopontina - OPN, Sialoproteína óssea - BSP, Proteína de matriz dentinária -DMP1 e Sialofosfoproteína dentinária - DSPP), bem como por análise enzimática da atividade de fosfatase alcalina e formação de nódulos mineralizados por coloração de alizarin vermelho. Serão analisadas por Western Blotting a expressão protéica de receptores BMPRIa, BMPRIb, BMPRII. Adicionalmente, as vias de sinalização canônica do Wnt, canônica do TGF e da MAPKinase, também serão analisadas quanto à sua ativação por Western Blotting. Finalmente, a expressão de genes de desenvolvimento será quantificada por qPCR. (AU)