Busca avançada
Ano de início
Entree

Manejo da leprose dos citros: redução do inóculo, controle do vetor e avaliação de danos

Processo: 06/01162-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2006 - 30 de setembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Renato Beozzo Bassanezi
Beneficiário:Renato Beozzo Bassanezi
Instituição-sede: Fundo de Defesa da Citricultura (FUNDECITRUS). Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Controle fitossanitário  Leprose  Citrus  Citrus sinensis  Citricultura  Avaliação de danos  Ácaros parasitos de plantas  Poda  Vírus de plantas 

Resumo

A leprose dos citros, causada pelo vírus da leprose dos citros (Citrus leprosis vírus - CiLV) e transmitida pelo ácaro Brevipalpus phoenicis (Acari: Tenuipalpidae) é uma das principais doenças da citricultura paulista. Por ser endêmica na região citrícola e causar grandes danos à produção de citros, o seu manejo, a fim de mantê-la em níveis aceitáveis, é imprescindível e exige um esforço contínuo, gerando substancial incremento nos custos de produção. Características deste patossistema sugerem que tanto o controle da população do ácaro vetor, como a redução da fonte de inóculo, sejam fatores chaves no sucesso do controle da doença. Entretanto, maior atenção tem sido dada pelos citricultores, por desconhecimento ou facilidade, ao controle do vetor em detrimento à redução do inóculo do CiLV. Além disso, níveis de ação empíricos para a tomada de decisão para a pulverização de acaricidas têm sido recomendados e usados em larga escala sem a devida comprovação da sua eficiência e do seu custo/benefício, e do conhecimento as relações entre níveis de infestação e danos na produção, e melhor ainda, entre severidade da doença e danos na produção. Desta forma, o projeto de pesquisa ora proposto visa esclarecer os papéis da redução do inóculo do CiLV e do controle populacional do ácaro vetor no controle da leprose dos citros e na redução dos danos causados pela doença, abordando aspectos práticos e econômicos das estratégias utilizadas. O que se pretende é responder as seguintes questões: 1) é possível controlar a leprose dos citros apenas com a redução do inóculo de CiLV?; 2) qual deve ser o nível de ação para o controle do ácaro da leprose, com e sem a redução de inóculo, para atingir níveis aceitáveis e econômicos de danos causados pela doença?; 3) é possível estabelecer uma relação entre os danos causados pela leprose e a severidade de sintomas ou o nível de infestação do vetor? Para tanto, será avaliada a eficiência da poda e remoção de ramos, folhas e frutos com sintomas de leprose no controle da doença, isolada ou juntamente com a avaliação de diferentes níveis de ação de controle químico do ácaro da leprose. A eficiência de cada um dos tratamentos será avaliada pela incidência e severidade da doença e pelos danos caudados na produção de frutos... (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BASSANEZI, R. B.; CZERMAINSKI, A. B. C.; LARANJEIRA, F. F.; MOREIRA, A. S.; RIBEIRO JUNIOR, P. J.; KRAINSKI, E. T.; AMORIM, L. Spatial patterns of the Citrus leprosis virus and its associated mite vector in systems without intervention. PLANT PATHOLOGY, v. 68, n. 1, p. 85-93, JAN 2019. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.