Busca avançada
Ano de início
Entree

Tecnologias assistivas: uma das estratégias de tecnologia de cuidado no envelhecimento

Processo: 08/50994-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa de Apoio à Propriedade Intelectual (PAPI/Nuplitec)
Vigência: 01 de julho de 2008 - 30 de junho de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Vania Aparecida Gurian Varoto
Beneficiário:Vania Aparecida Gurian Varoto
Instituição-sede: Envelhecer Consultoria e Pesquisa em Gerontologia S/S Ltda
Assunto(s):Atenção à saúde  Geriatria  Idosos  Fármacos  Envelhecimento  Tecnologia assistiva 

Resumo

Considerando o aumento significativo da população idosa brasileira é necessário traçar e implementar novas estratégias de suporte que colaborem para manter a funcionalidade das pessoas, para que possam lidar com o processo do envelhecimento com ou sem comprometimentos. Apesar dos esforços despendidos para garantir uma velhice cada vez mais ativa e saudável, a maioria das pessoas com 60 anos e mais, experimenta pelo menos uma fragilidade e observa-se um consumo maior de medicamentos. Por outro lado, se a medicação é administrada de forma não controlada e adequada o efeito maléfico será prioritário em relação ao de bem-estar. Manter a capacidade funcional e cognitiva preservada, quando associada a algum comprometimento é tarefa difícil de se alcançar sem que se tenha ajuda de pessoas e/ou equipamentos. A família, na sua maioria é a prestadora de ajuda. Equipamentos de autoajuda e adaptações no ambiente também são utilizados para suporte funcional na melhoria diária seja no domicílio ou em instituições. Verificar tipos de equipamentos de tecnologia assistiva (TA) para o controle de medicação diária utilizados por idosos e/ou seus cuidadores institucionalizados ou não, em S. Carlos (SP) é a meta principal deste projeto, por meio dos pressupostos da pesquisa quanti-qualitativa. Participarão uma amostra das Instituições de Longa Permanência-ILPs e dos clientes-idosos e/ou seus cuidadores dos especialistas em Geriatria. Questionários semiestruturados foram desenvolvidos para a coleta de dados com questões de caracterização dos sujeitos, da quantidade de medicamentos utilizados pelo idoso, quem e como ocorre o controle e guarda da medicação, as orientações recebidas para o uso, identificação e/ou adaptações dos equipamentos utilizados para o manuseio da mesma. Espera-se com este projeto aprimorar e/ou desenvolver tipos de equipamentos de TA para o controle de medicação diária. (AU)