Busca avançada
Ano de início
Entree

Imunomodulação induzida por Ascaris suum: mecanismo de escape do parasita?

Processo: 00/07141-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2000 - 31 de janeiro de 2003
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Maria Fernanda de Macedo Soares
Beneficiário:Maria Fernanda de Macedo Soares
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Nematoides  Ascaris suum  Larva  Anticorpos monoclonais  Imunossupressão  Adjuvantes imunológicos 

Resumo

Os efeitos de infecções parasitárias na responsividade do sistema imune do hospedeiro têm sido amplamente estudados. Muitos destes resultados sugerem que esta imunomodulação possa ser um dos mecanismos utilizados para promover a sobrevivência do parasita. Neste sentido, as infecções crônicas gastrointestinais por nematóides são particularmente intrigantes, pois os mecanismos que os parasitas utilizam para se evadir da imunidade do hospedeiro são eficazes e de natureza diversa. Com relação ao Ascaris suum, apesar de produzir proteínas que são potentes alérgenos (estimulando a produção de anticorpos IgE), tanto a infecção experimental como extratos de vermes adultos suprimem substancialmente a resposta imune do hospedeiro. Em nosso laboratório isolamos e caracterizamos uma proteína (PAS-1), presente em vermes adultos de Ascaris suum, que possui uma intensa atividade imunossupressora, tanto sobre a resposta imune humoral quanto celular. Assim, esta proteína PAS-1, bem como o anticorpo monoclonal contra ela dirigido (MAIP-1) são ferramentas importantes para os estudos sobre a imunomodulação induzida por Ascaris suum. Este projeto tem como objetivo principal o estudo da importância de PAS-1 na infectividade do parasita. Considerando o complexo ciclo vital do nematóide Ascaris suum, que compreende etapas migratórias através de vasos sangüíneos e penetração via mucosa, pretende-se avaliar a presença da proteína supressora nos diferentes estágios larvais, quais seja: ovos, L2, L3 e L4. A possível implicação de PAS-1 como mecanismo de escape do parasita será investigada pela capacidade de MAIP-1 e PAS-1 em modificar (suprimindo ou facilitando) a infectividade experimental do parasita, em camundongos. (AU)