Busca avançada
Ano de início
Entree

Anticorpos monoclonais para tratamento de tumores do sistema nervoso central

Processo: 11/50526-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de maio de 2011 - 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Maria Carolina Braga Tuma
Beneficiário:Maria Carolina Braga Tuma
Empresa:Recepta Biofarma S/A (Recepta)
Município: São Paulo
Vinculado ao auxílio:08/57914-6 - Anticorpos monoclonais para tratamento de tumores do sistema nervoso central, AP.PIPE
Assunto(s):Sistema nervoso central  Anticorpos monoclonais  Neoplasias  Proteína-lisina 6-oxidase 

Resumo

Conforme consta da proposta submetida e aprovada, o projeto a ser desenvolvido na Fase 2 consiste na realização de ensaios pré-clínicos de funcionalidade in vitro e in vivo com os anticorpos monoclonais gerados na Fase I para avaliação de sua atividade anti-tumorigênica. A geração dos anticorpos monoclonais contra a proteína LOX e verificação de sua especificidade eram as metas a serem atingidas na Fase 1, para estabelecer a viabilidade do projeto de inovação apresentado. Foram gerados também anticorpos policlonais contra outro marcador de glioblastoma, a proteína fosfolipídica 2 (PLP2), mas estes só serão avaliados após a confirmação da localização celular desta proteína. O projeto de Fase 2 propõe a caracterização de anticorpos monoclonais, gerados na Fase 1 do projeto, contra um marcador de glioblastoma que pode ser protetor contra esses tumores. Esse marcador mostrou expressão aumentada em glioblastomas em comparação à sua expressão em tecidos normais. O marcador, a proteína lisil oxidase (LOX) é uma enzima secretada. Ao contrário da resposta citotóxica habitual de anticorpos sítios-específicos que envolvem reações complemento dependentes ou ADCC, no caso de tecidos imuno-privilegiados como o cérebro, espera-se que os anticorpos possam ter efeitos neutralizantes diretos contra a proteína-alvo e possam ser administrados regionalmente após excisão tumoral. O projeto é uma inovação na área de Oncologia do SNC e pode representar um tratamento adjuvante do glioblastoma. A Recepta Biopharma é a única empresa no País que está associada à produção, ensaio e administração clínica de anticorpos monoclonais no tratamento de neoplasias e essa é a primeira iniciativa envolvendo tumores de alta malignidade do SNC. A partir do sucesso da Fase 2 do projeto a empresa terá sólidos fundamentos, clínicos e de mercado, para investir no desenvolvimento desses anticorpos, com sua humanização, produção em escala piloto e realização de testes clínicos de Fase I e 11, em consonância com seu modelo de negócios. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
O marco dos anticorpos