Busca avançada
Ano de início
Entree

Obstrução das vias aéreas superiores em crianças menores de 5 anos: prevalência, causas, repercussões, co-morbidades e seu impacto na saúde pública

Processo: 11/02471-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2011 - 30 de novembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Renata Cantisani Di Francesco
Beneficiário:Renata Cantisani Di Francesco
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Ana Maria de Ulhôa Escobar ; Mauro Gamero Alves da Costa ; Ricardo Ferreira Bento ; Sandra Josefina Ferraz Ellero Grisi
Assunto(s):Clínica médica  Otorrinolaringologia  Pediatria 

Resumo

A obstrução de vias áreas em crianças pode afetar a aquisição de habilidades cognitivas e psicomotoras, o crescimento pondero-estatural, desenvolvimento craniofacial, distúrbios do sono e está associada a uma maior freqüência de infecções de vias aéreas. Sua instalação comumente resulta em menor qualidade de vida para a criança e seus familiares, uso de recursos públicos e afastamento de atividades escolares. No âmbito otorrinolaringológico poucos esforços foram efetuados; faz-se necessária a elaboração de novas análises para que seja prevista uma melhor alocação de recursos e intervenções mais efetivas. Objetivos: determinar a prevalência da obstrução de vias aéreas em crianças menores de 5 anos na comunidade da região oeste do município de SP, repercussões, fatores de risco, impacto social e analisar o impacto econômico para o sistema de saúde pública. O objetivo secundário é desenvolver uma técnica de Capacitação de Médicos do Programa de Saúde da Família no Brasil para a identificação e diagnóstico precoces da obstrução das vias aéreas nesta faixa etária.Material e Método: Serão avaliadas 203 crianças de cada uma das seguintes UBS Vila Dalva, Jardim Boa Vista e Jardim São Jorge. Todas as crianças selecionadas serão submetidas anamnese com seus respectivos pais ou responsáveis sobre obstrução respiratória, distúrbios respiratórios, sono, quadros de infecção das vias aéreas superiores, etc. Todas as crianças serão submetidas a exame físico otorrinolaringológico: análise facial, oroscopia, rinoscopia anterior, otoscopia e as crianças que apresentarem queixa de obstrução das vias aéreas superiores serão submetidas a fibronasofaringolaringoscopia. A análise de custo-efetividade, será avaliada através de análise retrospectiva: absenteísmo escolar/creche, número de consultas na Unidade Básica de Saúde ou serviço de emergência referido, internações hospitalares, número de infecções e medicamentos utilizados no período dos últimos 12 meses, comparando os dados entre os grupos de pacientes com e sem obstrução das vias aéreas superiores. (AU)