Busca avançada
Ano de início
Entree

Evidências do papel da leptina na regulação da formação óssea em pacientes da hemodiálise crônica

Processo: 11/00259-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2011 - 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Jacqueline do Socorro Costa Teixeira Caramori
Beneficiário:Jacqueline do Socorro Costa Teixeira Caramori
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados: Janaina da Silva Martins ; Rosa Maria Affonso Moysés
Assunto(s):Nefrologia 

Resumo

O tecido ósseo é altamente metabólico e cada vez mais reconhecido como protagonista nas vias de controle energético. O hormônio leptina relacionado à obesidade age sobre o osso inibindo a osteoclastogênese, aumentando a massa óssea e induzindo a transcrição e secreção do fibroblast growth factor. As ações da leptina sobre o osso são mediadas pelo receptor específico OBRb. No doente renal crônico a leptinemia é muito elevada, e as evidências sobre o seu papel na osteodistrofia são conflitantes. Até o momento, a relação entre a leptina sérica e o seu receptor ósseo específico em pacientes com osteodistrofia renal não foi estudada.Hipótese: A elevação sérica de leptina seria incapaz de aumentar a massa óssea e possivelmente, há diminuição da expressão dos receptores OBRb em osteoblastos do doente renal crônico. A leptina sérica deverá associar-se com elevados níveis de FGF23, e com a resistência insulínica e a obesidade. Objetivos: Quantificar a expressão dos receptores OBRb em tecido ósseo, correlacionando com a leptina sérica livre e avaliar a associação da relação leptina sérica/ OBRb nas taxas de formação e reabsorção óssea, bem como investigar a influencia nos níveis séricos de FGF23 em pacientes da hemodiálise crônica. Plano de pesquisa: Estudo transversal com 60 pacientes com osteodistrofia renal do Hospital das Clínicas da Universidade Estadual Paulista. Serão incluídos entre janeiro de 2011 a janeiro de 2012 pacientes que concordarem com a realização da biópsia óssea e assinarem termo de consentimento esclarecido. Serão excluídos pacientes com menos de 18 anos ou menos de três meses de hemodiálise, os que tenham recebido corticóides e/ou drogas imunomoduladoras nos últimos seis meses, hepatopatias graves e com neoplasias. Será realizada avaliação antropométrica; análise bioquímica para dosagem de leptina livre, PTH intacto e FGF23, após jejum de 12 horas. Será realizado no tecido ósseo histomorfometria e quantificação da expressão de OBRb por reação quantitativa da polimerase em cadeia em tempo real (qPCR-RT). Resultados esperados: Rediscutir a participação da leptina na osteodistrofia renal, quantificando e descrevendo a expressão de OBRb, e investigando sua participação nos níveis séricos de FGF23. Conclusão: Espera-se reforçar as evidências experimentais da ação da leptina sobre a fisiopatologia do metabolismo ósseo, associando essa investigação aos achados do metabolismo energético. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARTINS, JANAINA DA SILVA; CASTRO, JOAO HENRIQUE; RUEDA, NESTOR A. SAINZ; DOS REIS, LUCIENE MACHADO; JORGETTI, VANDA; AFFONSO MOYSES, ROSA MARIA; CARAMORI, JACQUELINE TEIXEIRA. Renal osteodystrophy in the obesity era: Is metabolic syndrome relevant?. PLoS One, v. 12, n. 7 JUL 18 2017. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.